Arroz

Nome científico: 
Oryza sativa L.
Família: 
Poaceae
Sinonímia científica: 
Oryza communissima Lour.
Partes usadas: 
Grão
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Proteínas, fibras, vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, niacina), minerais essenciais (ferro, zinco, manganês), ácidos ferúlico e elágico, gama-aminobutírico (GABA), fitoesteróis.
Propriedade terapêutica: 
Antioxidante, anti-inflamatória, controle glicêmico, promoção da saúde digestiva.
Indicação terapêutica: 
Emagrecimento, redução de inflamação associada a condições como artrite e doenças do intestino.

Origem, distribuição

Historiadores e cientistas apontam o sudeste da Ásia como o local de origem do arroz. Disseminado principalmente na Índia. Cultivado em regiões tropicais e temperadas quentes em baixas altitudes.

Nomes em outros idiomas

  • Ingles: rice
  • Francês: riz
  • Espanhol: arroz

Descrição

Arroz tem importância estratégica na alimentação e economia mundial. Da família Poaceae e gênero Oryza, compreende mais de 20 espécies embora somente duas são cultivadas: o arroz asiático (Oryza sativa) e o africano (Oryza glaberrima).

Espécie monocotiledônea, caracteriza-se por possuir caules ocos, flores reduzidas de cor verde e aquênios especializados, ou cariopses, como frutos. Anual, ereta, alcança até 1.6m.

A raiz seminal, ou radícula, surge da coleorriza logo após o seu aparecimento e é seguida por uma ou duas raízes seminais secundárias. A folha primária, surgida do coleóptilo, difere das demais por ser cilíndrica e não apresentar lâmina. 

O caule é composto por um colmo principal e um número variável de colmos primários e secundários (ou perfilhos). Inflorescência em panícula. O grão é formado pelo ovário fecundado e contém uma única semente aderida às suas paredes, pericarpo, envolvida pela lema e a pálea, as quais, juntamente com as glumas estéreis e estruturas associadas, formam a casca. O grão sem casca denomina-se cariopse.

Curiosidade. Arroz proibido

O arroz preto, pertencente à subespécie japonica, é originário da China. Na antiguidade era conhecido como arroz proibido. A ele atribuíam-se propriedades afrodisíacas e poder de conferir longevidade e sabedoria ao imperador. 

No Brasil vem crescendo o consumo de arroz preto, motivado pelas propriedades nutricionais diferenciadas. Comparado ao arroz integral, o arroz preto possui maior quantidade de carboidratos, fibras, proteínas e grandes quantidades de compostos fenólicos benéficos à saúde.

Uso popular e medicinal

O arroz possui uma série de propriedades medicinais e nutricionais que têm despertado interesse crescente na comunidade científica. 

Composição nutricional. O arroz é uma excelente fonte de carboidratos complexos, fornecendo energia de liberação lenta que sustenta o corpo ao longo do dia. Além disso, o arroz contém quantidades significativas de proteínas, fibras, vitaminas do complexo B (especialmente tiamina, riboflavina e niacina) e minerais essenciais como ferro, zinco e manganês. A composição nutricional do arroz varia de acordo com o tipo de grão e o método de processamento.

Efeitos antioxidantes. Estudos demonstraram que o arroz contém compostos antioxidantes como vitamina E, ácido ferúlico e gama-aminobutírico (GABA), que ajudam a neutralizar os radicais livres no corpo, reduzindo o estresse oxidativo e o risco de doenças crônicas como doenças cardiovasculares e câncer.

Atividade anti-inflamatória. Certos compostos encontrados no arroz como o ácido elágico e os fitoesteróis, exibem propriedades anti-inflamatórias que podem ajudar a reduzir a inflamação associada a condições como artrite e doenças inflamatórias do intestino.

Controle glicêmico. Em particular o arroz integral é rico em fibras e nutrientes que ajudam a regular os níveis de glicose no sangue, tornando-se uma escolha saudável para indivíduos com diabetes ou quem tem propensão a desenvolvê-lo.

Promoção da saúde digestiva. A fibra presente no arroz integral ajuda a promover a saúde digestiva, prevenindo a constipação e apoiando o crescimento de bactérias benéficas no intestino.

Benefícios para a perda de peso. Arroz é uma escolha popular entre aqueles que buscam perder peso devido ao seu baixo teor de gordura e sua capacidade de proporcionar saciedade.

Consumo de arroz branco no "dia seguinte": o amido resistente

Uma polêmica envolve o consumo de arroz branco no dia seguinte. 

Alguns pesquisadores destacam que o amido resistente, formado durante o processo de resfriamento do arroz cozido, pode ter benefícios para a saúde. O amido resistente é considerado uma forma de fibra alimentar que não é digerida no intestino delgado, mas sim fermentada no intestino grosso. Isso pode promover a saúde digestiva, estimular o crescimento de bactérias benéficas no intestino e ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue.

No entanto, outros pesquisadores alertam que o consumo excessivo de amido resistente pode ter efeitos colaterais como gases, inchaço e desconforto abdominal, especialmente em pessoas sensíveis. Além disso, o amido resistente pode afetar os níveis de glicose no sangue quando consumido em grandes quantidades.

É importante ressaltar que a moderação é fundamental ao consumir alimentos contendo amido resistente, incluindo o arroz branco refrigerado. Para a maioria das pessoas, consumir arroz branco no dia seguinte, desde que seja armazenado adequadamente e reaquecido corretamente, pode fazer parte de uma dieta equilibrada. No entanto, indivíduos com condições específicas como diabetes ou sensibilidade digestiva, podem precisar monitorar sua ingestão de carboidratos e optar por alternativas com menor impacto nos níveis de açúcar no sangue. É sempre recomendável consultar um profissional de saúde para orientações personalizadas.

 Cuidado
Embora raro, o arroz pode desencadear alergias em algumas pessoas especialmente aquelas com sensibilidade ao glúten ou que são alérgicas a certas proteínas encontradas neste cereal.

 Culinária

O arroz é estrela de milhares de receitas, desde pratos tradicionais até criações modernas e inovadoras.

O arroz branco e o integral são acompanhamentos perfeitos para legumes frescos, frutos do mar, carnes, aves, tofu, especiarias aromáticas e ervas frescas, resultando em pratos que satisfazem a todos os paladares. A lista é extensa: arroz com pequi, parboilizado, cremoso com açafrão, de forno, à grega, de Natal, de Braga, baião de dois, à Piemontesa, galinhada, carreteiro (veja receita)... 

Mas o arroz vai além do simples acompanhamento, ele é a base de pratos icônicos como o sushi japonês, a paella espanhola, o risoto italiano e o biryani indiano. 

Arroz também é protagonista em sobremesas deliciosas como o arroz doce, o pudim de arroz, bolos e biscoitos. Sua capacidade de se adaptar a diferentes sabores e texturas faz dele um ingrediente fundamental na culinária mundial.

Receita - Arroz carreteiro

Ingredientes

Modo de preparo

1 kg de carne-seca dessalgada cortada em cubos  Refoque a linguiça separadamente em uma frigideira, depois reserve.
1 xícara de linguiça portuguesa cortada em cubos Frite o bacon em outra panela, na própria gordura, até ficar dourado.
100g de bacon cortado em cubos Acrescente o óleo e quando estiver aquecido, junte a carne-seca.
4 colheres de sopa de óleo Adicione a cebola e o alho e refogue um pouco mais.
2 cebolas picadas Em seguida, acrescente o arroz e o tomate, colocando água as poucos.
3 dentes de alho picados Adicione a linguiça refogada e a salsa.
2 1/2 xícaras de chá de arroz branco Continue colocando água quente até o arroz cozinhar.
5 xícaras de chá de água fervente  
5 tomates picados sem pele e sem sementes  
sal a gosto  
1/2 xícara de chá de salsa picada  

Valor nutricional por 100 g de parte comestível

O valor nutricional do arroz pode variar ligeiramente dependendo do tipo (branco, integral, selvagem etc.). Aqui estão algumas estimativas gerais para 100 gramas da parte comestível do arroz branco cozido:

  • Calorias: aproximadamente 130 kcal
  • Carboidratos: cerca de 28 gramas
  • Proteínas: cerca de 2,7 gramas
  • Gorduras: cerca de 0,3 gramas
  • Fibras: cerca de 0,4 gramas
  • Vitaminas e minerais: o arroz branco contém geralmente algumas quantidades de vitaminas do complexo B (tiamina, niacina, ácido fólico) e minerais (ferro, magnésio). No entanto, o teor específico pode variar dependendo do processamento e da fortificação.

Esses valores são aproximados e podem variar dependendo do método de preparação e da variedade específica de arroz. Além disso, o arroz integral tende a ter um teor mais alto de fibras e nutrientes do que o arroz branco, devido ao seu menor grau de processamento.

 Referências

  1. Partes do conteúdo desta matéria foram elaboradas com auxílio de ferramenta de inteligência artificial e revisadas pelo Portal PPMAC - 15/04/2024
  2. EMBRAPA Arroz e Feijão. Características da planta.  - Acesso em 15/04/2024 
  3. O arroz branco pode ficar mais saudável no dia seguinte. Jornal Estado de São Paulo, Caderno Bem-Estar, 3 de fevereiro de 2024.
  4. REIFSCHNEIDER, F. J. B. et al. Uma pitada de biodiversidade na mesa dos brasileiros. Brasília, DF. 2015. 156p 
  5. Image: Author Aomorikuma - GNU Free Documentation License - Acesso em 15/04/2024
  6. The World Flora Online - Acesso em 15/04/2024

GOOGLE IMAGES de Oryza sativa - Acesso em 15/04/2024