Vegetais crucíferos

Vegetais crucíferos são alimentos funcionais. Além de nutritivos, ajudam a prevenir doenças. Possuem uma substância chamada sulforafano, fitonutriente capaz de estimular a função anticancerígena. São ricos em betacaroteno, vitaminas e minerais.

O termo "crucífero" (ou cruciforme) refere-se a uma característica comum da corola: dialipétala com quatro pétalas dispostas em cruz, opostas duas a duas com unhas ± longas (veja ilustração). 

Dialipétala significa que as pétalas não estão soldadas entre si, ou seja, estão livres. A unha é a parte inferior mais estreita das pétalas ou tépalas por onde se faz a sua inserção. Quanto ao eixo de simetria do cálice, diz-se que é actinomorfo (ou radial), possui vários eixos de simetria.

Dentre os crucíferos mais conhecidos estão brócolis, couve-flor, couve-manteigarepolho, nabo, rabanete, mostarda, rúcula e agrião.

Esses vegetais alcançam altíssima pontuação no Sistema de Pontuação Nutricional (Nuval, na sigla em inglês), método criado a partir em 2008 por pesquisadores da Yale University (EUA), para avaliar os alimentos consumidos pelos humanos.

Importante: devem ser consumidos crús a fim de que suas propriedades sejam preservadas. 

 Referências

  1. Dieta saudável, com alimentos baratos e fáceis de encontrar!  - Acesso em 1/3/2015
  2. Herbário da Universidade de Coimbra: Glossário de Termos Botânicos - Acesso em 1/3/2015
  3. VIDAL, W. N.; VIDAL, M. R. R. Botânica Organografia - Quadros Sinóticos Ilustrados de Fanerógamos. Universidade Federal de Viçosa (UFV), 4a. ed. 2003.

 ​Nota: após a publicação deste post, recebi o e-mail abaixo transcrito do amigo e colaborador Prof. Lelington Lobo Franco (Curitiba, PR): 

"O Dr. Alan R. Kristal e seus colaboradores da Universidade de Washington (EUA) estudaram 628 homens nas idades de 40 a 64 anos que haviam recebido o diagnóstico precoce de câncer de próstata, assim como 602 pessoas que não tinham câncer. As pessoas foram incluídas acerca do consumo de 99 itens alimentares durante um período de 3 a 5 anos.

Ao considerar o consumo de vegetais, observou-se que homens que se alimentavam de 28 ou mais porções de vegetais por semana tinham um risco 35% menor de câncer de próstata, ao serem comparados com homens que se alimentavam de menos do que 14 porções por semana. Ao se comparar vegetais do tipo da couve-flor e do brócolis, homens que se alimentavam deles tinham um risco de câncer de próstata 41% menor, se comparados a homens que comiam menos do que uma porção deste vegetais por semana."

Fonte: Botânica Organografia [3]