Mertiolate

Nome científico: 
Jatropha multifida L.
Sinonímia científica: 
Adenoropium multifidum (L.) Pohl
Família: 
Euphorbiaceae
Partes usadas: 
Raiz, folha, látex.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Saponina (folha).
Propriedade terapêutica: 
Cicatrizante, purgativo, emética, catártico, abortivo.
Indicação terapêutica: 
Feridas infectadas, úlceras, infecções cutâneas, sarna, indigestão, cólica, orquite, edemas, disenteria.

Origem

Ocorre naturalmente no México,  América Central e Brasil. É um exemplar popular na paisagem ao sul da Flórida (EUA). Em Santa Catarina (Brasil) é encontrada apenas como planta cultivada e ornamental.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: coral plant, physic nut
  • Alemão: korallenstrauch

Descrição [1,2]

Arbusto perene ou semi-decíduo, ligeiramente suculento, ou árvore com uma coroa solta e espalhada. Pode crescer até 6 m de altura, embora em cultivo é provável que alcance entre 2 a 3 m.

As flores são muito pequenas de cor vermelho-brilhantes e agrupadas em cachos. A folha tem de 10 a 20 cm de largura, dividida em segmentos ou lóbulos estreitos, afilados, longos e podem ter as extremidades lisas ou dentadas.

Os frutos são amarelos e normalmente contém 3 sementes. Apresenta seiva abundante leitosa ou incolor.

A planta é coletada na natureza como medicamento e fonte de óleo. Foi introduzida como ornamental na região dos trópicos da Europa, mas há muito tempo é cultivada como uma sebe. A inflorescência vermelha tem grande demanda por floristas e confecção de pequenos buquês usados por mulheres na cintura, ombro e pulso.

Uso popular e medicinal [1,2]

O óleo dasemente às vezes é usado como catártico (acelera a defecação de fezes), embora possa causar forte irritação e até intoxicação. O óleo é aplicado internamente e externamente como abortivo.

As sementes são usadas como purgativo e emética (provova vômito). Seu uso foi quase abandonado na medicina tradicional mexicana, embora conste da Farmacopeia deste país.

O látex é usado externamente no tratamento de feridas infectadas, úlceras, infecções cutâneas e sarna. Na Indonésia um dos nomes locais é iodium (iodo), que reflete o uso popular como remédio para feridas.

Na Indochina as raízes secas são dadas em decocção contra indigestão e cólica. São também prescritas como um tônico para tratar orquite (inflamação dos testículos) e edemas (inchaços).

As folhas contêm saponinas, são usadas como purgativo e no tratamento de disenteria e sarna.

No noroeste do Estado do Paraná (Brasil), onde é conhecida por mertiolate ou bálsamo, tem sido utilizada na cicatrização de feridas. A seiva incolor extraída da folha é aplicada diretamente sobre a lesões. Em alguns casos é ingerida para tratamento de úlceras gastrointestinais.

Um trabalho acadêmico verificou a atividade cicatrizante do exudato das folhas aplicado localmente sobre lesões induzidas em ratos.  Conclui-se que o exudato apresentou uma tendência em acelerar o processo de cicatrização, porém os autores sugerem mais estudos para desvendar o mecanismo de melhora da ação cicatrizante ocasionado pela planta.

  Cuidado

Todas as partes da planta são venenosas. As sementes maduras e secas contêm um óleo perigoso. Overdose pode ser contrabalanceada com um copo de vinho branco. Suco de lima e estimulantes são os melhores antídotos em casos de envenenamento pelas sementes.

O contato da seiva com a pele pode causar dermatite.

 Referências

  1. Useful Tropical Plants: Jatropha multifida - Acesso em 28 de maio de 2017
  2. Revista Brasileira de Farmácia (2008): Verificação da atividade cicatrizante do exudato de folhas de Jatropha multifida - Acesso em 28 de maio de 2017
  3. Image: Courtesy of Jörn Uwe Germer (The Virtual Botanic Garden - Virboga)
  4. The Plant List: Jatropha multifida - Acesso em 28 de maio de 2017

GOOGLE IMAGES de Jatropha multifida - Acesso em 28 de maio de 2017

Galeria: