Kudzu

Nome científico: 
Pueraria montana var. lobata (Willd.) Sanjappa & Pradeep
Família: 
Leguminosae
Sinonímia científica: 
Dolichos japonicus hort.
Partes usadas: 
A planta toda.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Fitoquímicos isoflavonas (daidzina, daidzeina, puerarina).
Propriedade terapêutica: 
Antídoto, antiemético, antipirético, antiespasmódico, demulcente, diaforético, digestivo, febrífugo, hipoglicêmico, hipotensivo.
Indicação terapêutica: 
Distúrbios intestinais e digestivos, alcoolismo, febre, resfriado, diarreia, disenteria, angina, enxaqueca, sarampo, ressaca, hemorragia.

Descrição [2]

Kudzu é uma trepadeira perene, semi-lenhosa, com potencial de atingir até 30 m de comprimento. As hastes podem atingir diâmetro de 1 a 10 cm.

Folhas são arranjadas alternadamente, compostas com três folíolos amplos de até 4 cm de diâmetro. Folíolos podem ser inteiros ou 2-3 lobados com margens peludas.

Flores têm pouco mais de 1 cm comprimento, cor roxa, altamente perfumada e suportada em aglomerados. A floração ocorre no final do verão, seguida pela produção de vagens de sementes castanhas, peludas, achatadas, contendo de 3 a 10 sementes.

Uso popular e medicinal [1]

Esta videira é comumente usada no herbalismo oriental. Na China é considerada uma das 50 ervas fundamentais. Todas as partes da planta são utilizadas medicinalmente particularmente a raiz, rica em amido. O amido restaura a saúde agindo através da alcalinização da corrente sanguínea e combatendo distúrbios intestinais e digestivos. O amido é ingerido principalmente em sopas ou chás. Como alimento de dieta é calmante, nutritivo e de fácil digestão.

Flores e raízes são antídoto, antiemético, antipirético, antiespasmódico, demulcente, diaforético, digestivo, febrífugo, hipoglicêmico e hipotensivo. A decocção das flores e tubérculos serve para tratar alcoolismo, febre, resfriado, diarreia, disenteria, obstrução intestinal aguda etc. É útil no tratamento da angina de peito e enxaqueca. A raiz é frequentemente usada como remédio para sarampo, em geral combinada com Cimicifuga foetida (um sinônimo de Actaea cimicifuga, Ranunculaceae).

Botões florais são diaforéticos e febrífugos.

Pesquisas mostram que os compostos daidzina e daidzeina (fitoquímicos isoflavonas) encontrados nas raízes e flores são seguros e eficazes para tratar o abuso do álcool. Eles trabalham suprimindo o apetite por álcool, enquanto os tratamentos existentes interferem na maneira como o álcool é metabolizado e podem causar acúmulo de toxinas. Usada frequentemente em combinação com Chrysanthemum morifolium (Compositae) no tratamento do abuso de álcool.

A raiz contém puerarina (outro fitoquímico isoflavona), substância com capacidade de aumentar o fluxo sanguíneo para a artéria coronária e proteger contra a isquemia miocárdica aguda causada pela injeção de pituitrina. A raiz é usada fresca ou seca.

As flores são colhidas imediatamente antes da abertura total e são secas para uso posterior.

As hastes são galactagogas e aplicadas como cataplasma em furúnculos, inchaços, bocas doloridas etc.

A semente é usada no tratamento de ressaca e disenteria.

As folhas são estípticas (estancam a hemorragia).

 Dedicado a Alfredo Votto (Hamamatsu, Shizuoka, Japan).

 Referências

  1. Useful Tropical Plants: Pueraria montana - Acesso em 7 de abril de 2019
  2. University of Florida (Center for Aquatic and Invasive Plants): Pueraria montana - Acesso em 7 de abril de 2019
  3. Image: Courtesy of Forest & Kim Starr
  4. The Plant List: Pueraria montana - Acesso em 7 de abril de 2019

GOOGLE IMAGES de Pueraria montana - Acesso em 7 de abril de 2019

 

Galeria: clique na imagem para ampliar: