Cajazeira

Nome científico: 
Spondias mombin L.
Família: 
Anacardiaceae
Sinonímia científica: 
Spondias aurantiaca Schumach. & Thonn.
Partes usadas: 
Raiz, caule, folha, flor, fruto.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Carotenoides, elagitaninos.
Propriedade terapêutica: 
Contraceptivo, antibacteriana, antisséptica, febrífuga, laxante, antioxidante.
Indicação terapêutica: 
Febre, doenças do trato digestivo, dor lombar, reumatismo, angina, dor de garganta, congestão, diarreia, uretrite, hemorragia, gonorreia, herpes, fadiga, oftalmia etc.

Origem [2]

O centro de origem é o continente americano. Amazônia Ocidental e Mata Atlântica são centros de diversidade.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: yellow mombin, hog plum

Descrição [4]

Árvore frondosa, alcança até 25 m de altura. Caule reto, casca aromática, acinzentada ou pardacenta, espessa e fendida. Folhas alternas, imparipenadas, grandes, compostas de 5-9 pares de folíolos opostos.

Flores aromáticas, hermafroditas, dispostas em panículas terminais. Fruto pequeno, drupa de 44 mm de diâmetro longitudinal, amarelo-alaranjado. Polpa resinosa, ácida, muito aromática, comestível e útil para refresco, sorvete e licor.

Fornece madeira branca adequada para marcenaria e carpintaria.  

Uso popular e medicinal

A casca é adstringente e emética, constituindo eficaz vomitório nos casos de febres biliosas e palustres, com reputação de antidiarreica, antidisentérica, antiblenorrágica e anti-hemorroidária, sendo esta última atribuída também à raiz. O suco do fruto é tido como febrífugo [4].

Cascas e flores são usadas na medicina popular como chá para doenças do trato digestivo, dor lombar, reumatismo, angina, dor de garganta, febre da malária, congestão, diarreia, uretrite, metrorragia (hemorragia uterina) e contraceptivo.

A casca é um remédio para gonorreia, diarreia, tosse, resfriado, hemorragia, dor de estômago e alivio da fadiga.

Extratos da planta exibem propriedades antibacterianas e a decocção da casca ou da casca da raiz é considerada antisséptica. A raíz é febrífuga e a infusão é usada para tratar a disenteria. A fruta é levemente laxante. Costuma-se comer após o cozimento para curar a diarreia [1].

Decocções das folhas servem ​​para tratar diarreia, disenteria, resfriados, febres e gonorreia. As folhas são usadas em preparações abortivas. A decocção das folhas e hastes jovens é usada como um colírio na oftalmia.

As flores são cardíacas e estomacais. Uma decocção é usada no tratamento de laringite, oftalmia e diarreia infantil.

Dois elagitaninos isolados das folhas e caules foram descritos como ativos contra os vírus Coxsackie (causador da doença da mão-pé-boca) e Herpes simplex (causa feridas nos lábios e órgãos genitais) [3].

O fruto é extremamente aromático e rico em carotenoides, que dão à sua polpa uma intensa coloração amarela. Carotenoides apresentam propriedade antioxidante por meio de desativação de radicais livres e remoção do oxigênio singleto (ou singlete) [2].

 Dedicado a Cristiani Sabbatini (Ariranha, SP)

 Referências

  1. Useful Tropical Plants: Spondias mombin - Acesso em 16 de junho de 2019
  2. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA Amazonia Oriental, 2017): Caracterização física e físico-química de frutos em matrizes de cajazeira no Estado do Pará - Acesso em 16 de junho de 2019
  3. MORS, W.B et. alli. Medicinal Plants of Brazil. Reference Publications, Inc.,  Algonac, Michigan. 2000.
  4. SOUZA, J. S. I; PEIXOTO A. M.; TOLEDO, F. F. Enciclopedia Agrícola Brasileira. Editora da USP (EDUSP), São Paulo. 1995.
  5. Image: Wikimedia Commons (Author: Marco Schmidt) - Acesso em 16 de junho de 2019
  6. The Plant List: Spondias mombin - Acesso em 16 de junho de 2019

GOOGLE IMAGES de Spondias mombin - Acesso em 16 de junho de 2019

 

Galeria: clique na imagem para ampliar: