Alho

Nome científico: 
Allium sativum L
Sinonímia científica: 
Allium sativum subsp. ophioscorodon (Link) Schübl. & G.Martens
Família: 
Amaryllidaceae
Partes usadas: 
Dentes (bulbilhos).
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Compostos sulfurados (aliina, ajoeno, alicina, tiosulfinatos), compostos não sulfurados (adenosina, frutanos, fração protéica, quercetina, saponinas, escordinina, selênio, ácidos fenólicos).
Propriedade terapêutica: 
Expectorante, antigripal, febrífuga, desinfetante, anti-inflamatória, antibiótica, antisséptica, vermífuga.
Indicação terapêutica: 
Contra vermes e parasitos, picada de inseto, contra ácido úrico, gripe, resfriado, tosse, rouquidão, dor de ouvido, arteriosclerose, hiperlipidemia, hipertensão arterial leve, prevenção da aterosclerose.

Formulário de Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira
Alho tem uso científico comprovado como coadjuvante no tratamento de hiperlipidemia, hipertensão arterial leve, dos sintomas de gripes e resfriados e auxiliar na prevenção da aterosclerose [5].

Nome em outros idiomas

  • Inglês: garlic, english garlic, poor man's treacle 
  • Francês: ail, ail blanc, ail cultivé
  • Alemão: knoblauch, alterswurzel, knobloch, knofel, 
  • Italiano: aglio
  • Espanhol: ajo

Origem [4]
Originário da Ásia Central, é uma das mais antigas plantas cultivadas no mundo. No Brasil, o alho chegou com os portugueses na época do descobrimento. Pelos povos antigos era considerada planta medicinal, sendo até hoje usada contra gripes e resfriados. O alho é rico em vitaminas do complexo B e contém uma quantidade expressiva de fósforo.

Descrição [2,4]
Alho é uma planta aromática, perene, pequena, cujo porte varia entre 50 e 70 cm de altura dependendo da variedade. As raízes atingem até 50 cm de profundidade. 

Suas folhas são lineares, estreitas e alongadas, recobertas por uma camada de cera que as protege do ataque de doenças. As flores são brancas ou avermelhadas. 

A parte comestível é o bulbo. Tem odor forte e característico de alimentos ricos em compostos sulfurados. A maior concentração de fitoquímicos terapêuticos encontra-se nesses bulbos, popularmente conhecidos como "dentes de alho".

Uso popular e medicinal
O consumo de alho é recomendado por promover ação antimicrobiana, efeitos antivirais, atividades imunológicas, anticancerígenas e antioxidante.

No alho foram identificados centenas de fitoquímicos bioativos, sendo os de maior destaque os compostos sulfurados e não sulfurados.

Dentre os sulfurados tem-se: aliina (hipotensora, hipoglicemiante), ajoeno (prevenção de coágulos, anti-inflamatória, vasodilatadora, hipotensora e antibiótica); alicina e tiosulfinatos (antibiótica, antifúngica, antiviral).

Dentre os não sulfurados encontram-se: adenosina (vasodilatadora, hipotensora, miorrelaxante), frutanos (cardioprotetora); fração protéica (imunoestimulante); quercetina (antialergênica), saponinas (hipotensora, antimicrobiana); escordinina (hipotensora, antibacteriana); selênio (antioxidante); ácidos fenólicos (antiviral, antibacteriana) [2].

Orienta-se consumir o alho imediatamente após o preparo, para preservar as concentrações dos fitoquímicos sulfurados em questão. 

Em seu experimento in vitro a nutricionista Yara Severino de Queiroz concluiu que a hortaliça, preparada na forma frita, tem maior capacidade de combater os radicais livres [3].

 Dosagem indicada

Hiperlipidemia, hipertensão arterial leve, sintomas de gripes e resfriados, prevenção da ateroscleroseComponentes: bulbilhos secos (20 g); álcool 45% p/p q.s.p. 100 mL. Uso interno: acima de 12 anos, tomar 50 a 100 gotas (2,5 a 5 mL) da tintura diluídas em 75 mL de água, duas a três vezes ao dia. Cuidado: este produto tem advertência e interação com medicamentos [5].

Gripe, resfriado, tosse, rouquidão

  • Maceração: esmagar um ou dois dentes de alho dentro de um copo com água. Tomar um copo três vezes ao dia [1]
  • Tintura: moer uma xíc. (cafezinho) de alho dentro de um recipiente contendo 5 xíc. de álcool 92o GL, deixar em maceração por 10 dias, coar. Tomar 10 gotas em meio copo de água 3 vezes ao dia [1].

HipertensãoUtilizar uma colher de chá da tintura em meio copo de água três vezes ao dia ou comer dois dentes de alho pela manhã [1]

VermífugoComer três dentes de alho pela manhã em jejum durante sete dias [1].

Dor de ouvido. Amassar um dente de alho em uma colher de sobremesa de azeite morno. Pingar três gotas no ouvido e tampar com algodão [1].

ArterioscleroseComer na alimentação 3 dentes de alho cru picado, 3 vezes por semana, durante 3 meses [1].

Tratamento de bronquites e limpeza do corpo de inflamações (Autoria desconhecida)
Esta receita de extrato de alho purifica o organismo das gorduras e também dissolve os coágulos do sangue, limpa o corpo das inflamações e das doenças broncopulmonares, da gastrite, úlceras do estômago e hemorróidas. Faz desaparecer por completo a dor de cabeça. Todo o organismo se recupera.

Preparo

  • Descascar 180 g de alho, passar no amassador de alho
  • Colocar o alho em um vidro com 250 ml (1/4) de litro de pinga
  • Fechar bem e deixar na geladeira durante 10 dias
  • Tirar da geladeira e coar, deixando somente o líquido
  • Tampar bem o vidro e deixar novamente mais 2 dias na geladeira
  • No terceiro dia o extrato de alho está pronto

Tomar em gotas antes das refeições conforme a tabela. Antes de tomar agitar bem o vidro.

DIA	CAFÉ	ALMOÇO	JANTAR	DIA	CAFÉ	ALMOÇO	JANTAR
1o. 	1	2	3	10o.	27	26	25
2o.	4	5	6	11o.	24	23	22
3o.	7	8	9	12o.	21	20	19
4o.	10	11	12	13o.	18	17	16
5o.	13	14	15	14o.	15	14	13
6o.	16	17	18	15o.	12	11	10
7o.	19	20	21	16o.	9	8	7
8o.	22	23	24	17o.	6	5	4
9o.	25	26	27	18o.	3	2	1

Do 19o dia em diante tomar 25 gotas todos os dias, 3 vezes ao dia, até terminar o extrato. Esta terapia pode ser repetida somente depois de 5 anos. É necessário seguir as doses com o conta-gotas e tomar todos os dias sem falhar para dar sequência na contagem das gotas.

Tomar com suco de frutas, legumes, leite ou água. Não deixa nenhum cheiro, nem de transpiração.

 Contraindicação
Contraindicado para pessoas com problemas estomacais e de úlceras, inconveniente para recém-nascidos e mães em amamentação e em pessoas com dermatites. Em doses muito elevadas, pode provocar dor de cabeça, de estômago, dos rins e até tonturas.

Composição de alimentos por 100 gramas de parte comestível [7]

Alho cru
Principais Minerais Vitaminas
Umidade % 67,5 Cálcio mg 14 Retinol µg NA
Energia 113 kcal; 473 kJ Magnésio mg 21 RE µg  
Proteína g 7 Manganês mg 0,24 RAE µg  
Lipídeos g 0,2 Fósforo mg 149 Tiamina mg 0,18
Colesterol mg NA Ferro mg 0,8 Riboflavina mg Tr
Carboidrato g 23,9 Sódio mg 5 Piridoxina mg 0,44
Fibra alimentar g 4,3 Potássio mg 535 Niacina mg Tr
Cinzas g 1,3 Cobre mg 0,15 Vitamina C mg *
    Zinco mg 0,8    

NA: Não Aplicável; Tr: Traços;  *: Análise em Reavaliação

 Colaboração

  • Sérgio Antonio Barraca, estudante de graduação da ESALQ/USP, Piracicaba (SP), 1999.

 Referências

  1. BARRACA, S. A. Cultivo de Horta Medicinal - Acesso em 22/3/2015
  2. Benefícios funcionais do alho - Acesso em 22/3/2015
  3. Jornal da USP: Alho frito é mais eficaz contra radicais livres - Acesso em 22/3/2015
  4. EMBRAPA: A cultura do alho - Acesso em 22/3/2015
  5. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. ANVISA, 1ª ed. 2011.
  6. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 4a ed. 2011.
  7. Imagem: Forest & Kim Starr - Acesso em 22/3/2015
  8. The Plant List: Allium sativum - Acesso em 22/3/2015

GOOGLE IMAGES de Allium sativum - Acesso em 22/3/2015

Galeria: