Repolho

Nome científico: 
Brassica oleracea var. capitata L.
Família: 
Brassicaceae
Partes usadas: 
Folhas.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Flavonoides: antocianina, antocianidina, leucoantocianidina, catequina, chalcona, aurona, flavona.
Propriedade terapêutica: 
Cicatrizante
Indicação terapêutica: 
Cicatrização de abscessos, dores de cabeça, dores reumáticas, tumores, prevenção de tuberculose, desnutrição, anemia, enfermidades do estômago, úlceras internas, hemorroidas, alcoolismo, osteoporose.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: cabbage, ornamental cabbage, red cabbage, savoy cabbage
  • Espanhol: repollo, col repollo
  • Alemão: kohl, blaukraut, frühweisskohl, kopfkohl, rotkohl, weisskohl
  • Francês: chou capus, chou pommé, chou rouge.

Descrição
Repolho é uma hortaliça bianual, cresce até 0,8 m. Folhas formadas por limbo arrendondado, grande, com pecíolo curto e bem destacado. As folhas superiores do caule aparecem encaixadas umas às outras, formando o que é designado como a "cabeça do repolho”. São imbricadas, dispostas ao longo do caule, não apresentam pêlos, são recobertas por uma camada cerosa (repele a água), dificilmente molháveis nas pulverizações com defensivos.

Floresce de maio a agosto, as sementes amadurecem de julho a setembro. As flores são hermafroditas (têm ambos os sexos masculino e órgãos femininos) e são polinizadas por abelhas. É planta autofértil.

No florescimento emite um pendão floral terminando em inflorescência ramificada em cacho, com centenas de flores amarelas.

Uso popular e medicinal
Um dos vegetais mais utilizados devido as suas diversas aplicações (sopas, conservas, acompanhamentos, massas), repolho tem alta concentração de cálcio, proteínas e ácido ascórbico. É consumido geralmente como um legume cozido ou folhas cruas, desfiadas, em saladas. As variedades holandeses são mais doces e suaves no sabor.

As folhas internas são mais macias do que as externas, porém menos nutritivas porque não têm contato direto com raios solares. Alguns acreditam que as folhas cruas causam indigestão. Essas podem ser fermentadas e transformadas em chucrute, considerado um alimento saudável e bom para o sistema digestivo. Por cuidadosa seleção de cultivares, é possível colher repolho o ano todo. As sementes germinadas podem ser adicionadas a saladas [3].

Desde o passado remoto a planta é usada na forma de cataplasma para tratar feridas. Há relatos do uso em processos de cicatrização de abscessos, dores de cabeça de causas desconhecidas, dores reumáticas e reumatoides, tumores, prevenção de tuberculose, auxílio em casos de afonia, desnutrição, anemia, enfermidades do estômago, úlceras internas, hemorroidas, alcoolismo, gota e reumatismo.

No Brasil espécies de Brassica vem sendo utilizadas como produto cicatrizante no combate a osteoporose, no tratamento de dependência ao álcool ressaltando o seu uso em casos de diabetes, visto que o quadro clínico de dificuldade de cicatrização decorrente da doença é comprovado [1,5]

Trabalhos recentes (2012) apontaram outras propriedades de Brassica oleracea var. capitata: o repolho branco é fonte potencial de agentes antibacterianos [5]; o extrato de repolho roxo contém antocianinas, antocianidinas, flavonoides, leucoantocianidinas, catequinas, chalconas, auronas e flavonas [6].

Composição de alimentos por 100 gramas de parte comestível [7]

Repolho branco cru Roxo cru Roxo refogado
Umidade % 94,7 90,1 88,7
Energia 17 kcal; 72 kJ 31 kcal; 129 kJ 42 kcal; 175 kJ
Proteína g 0,9 1,9 1,8
Lipídeos g 0,1 0,1 0,2
Colesterol mg NA NA NA
Carboidrato g 3,9 7,2 7,6
Fibra alimentar g 1,9 2,0 1,8
Cinzas g 0,4 0,4 0,7
Cálcio mg 35 44 43
Magnésio mg 9 18 17
Manganês mg 0,13 0,25 0,25
Fósforo mg 14 58 59
Ferro mg 0,2 0,5 0,5
Sódio mg 4 2 3
Potássio mg 150 328 321
Cobre mg 0,02 0,90 0,02
Zinco mg 0,2 0,3 0,3
Retinol µg NA NA NA
RE µg 6b    
RAE µg 3b    
Tiamina Tr 0,07 0,07
Riboflavina mg 0,03 Tr Tr
Piridoxina mg 0,06 0,09 0,07
Niacina mg Tr Tr 0,03
Vitamina C mg 18,7 43,2 40,5

 Referências

  1. Revista Brasileira de Farmacognosia: Estudo espectrométrico de diferentes estágios fenológicos da Brassica oleracea var. capitata - Acesso em 8/2/2015
  2. Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro: Cultivo das Brassicas - Acesso em 8/2/2015
  3. Plants for a Future: Brassica oleracea capitata - Acesso em 8/2/2015
  4. Centro Paranaense de Referência em Agroecologia: Brassica oleracea - Acesso em 8/2/2015
  5. Atividade antibacteriana de Brassica oleracea var. capitata em modelos experimentais in vitro - Acesso em 8/2/2015
  6. 52o Congresso Brasileiro de Química: Abordagem fitoquímica do extrato aquoso de Brassica oleracea var. capitata - Acesso em 8/2/2015
  7. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO), 4a ed, 2011.
  8. Imagem: Wikimedia Commons (Authors: Forest & Kim Starr) - Acesso em 8/2/2015

GOOGLE IMAGES de Brassica oleracea var. capitata - Acesso em 8/2/2015

Galeria: