Pomelo, pomeleiro

Nome científico: 
Citrus paradisi Macfad.
Sinonímia científica: 
Não existente no sistema de classificação APG III
Família: 
Rutaceae
Partes usadas: 
Polpa, suco, folhas, óleo da casca.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Limoneno, compostos oxigenados, sesquiterpenos, aldeidos C8 e C10, geraniol, cadineno, citral, dimetil antranilato, cumarinas, naringenina, flavonoides.
Propriedade terapêutica: 
Estomáquico, tônico cardíaco, antibiótico
Indicação terapêutica: 
Dieta de emagrecimento, insônia, desordens urinárias.

Nome em outros idiomas [3]

  • Inglês: flame grapefruit, western grapefruit, common grapefruit
  • Francês: pomelo
  • Alemão: pampelmuse
  • Italiano: pompelmo, pampelino
  • Espanhol: pomelo, toronja

Origem [4]

Pomelo é o único dentre os principais citros que se originou fora do Sudeste Asiático, provavelmente na ilha de Barbados (Índias Ocidentais) por volta de 1750. Supõe-se que seja um híbrido de toranja (Citrus maxima) e laranja (Citrus sinensis).

Descrição [1,2]

Os pomelos são classificados em três principais grupos, de acordo com a cor da polpa, do suco e casca do fruto: branca, rosa e vermelha. A cor é afetada pelo solo, clima e pode variar de ano para ano.

A variedade "Flame" (foto), amplamente cultivada na Argentina e na Flórida (EUA), tem copa grande, arredondada, crescimento aberto, ramos resistentes. As folhas são verde-escuras grandes com pecíolos de asas amplas, flores completas, grandes, com grãos de pólen e sacos embrionários em sua maioria estéreis. Os frutos são grandes, pesados, formato arredondado, casca fina, lisa, com coloração laranja e manchas avermelhadas. Polpa firme com coloração vermelha intensa e uniforme. O fruto normalmente não tem sementes.

Cultivares de pomelo foram introduzidos no Brasil pela Embrapa e tem apresentado bom potencial comercial. O Estado de São Paulo responde por boa parte da produção. São também produzidos em larga escala no Vale do Rio São Francisco (sertão baiano) e Vale do Rio Moxotó (sertão pernambucano).

Uso popular e medicinal [6]

Em muitos países é comum consumir pomelo no café da manhã, cortado ao meio, separado da casca e servido com açúcar ou mel. O suco de pomelo é indicado em dietas de perda de peso, toma-se como um "drink" gelado antes das refeições.

É um fruto nutritivo, rico em vitamina C e antioxidantes.

A essência preparada a partir das flores é usada para problemas de insônia, como estomáquico e tônico cardíaco. A polpa é considerado auxiliar eficaz no tratamento de desordens urinárias. Extratos da folha têm demonstrado atividade antibiótica.

Óleo da casca contém 90% de limoneno. A fração volátil (2-3%) consiste principalmente de compostos oxigenados e sesquiterpenos. A fração de cera (7-8%) consiste em aldeidos C8 e C10, geraniol, cadineno, pequenas quantidades de citral e dimetil antranilato. Também estão presentes 9 cumarinas e 0,88% de 22-dihidro estigmasterol. A polpa seca e sementes contêm beta-sitoesteril-D-glucósido e beta-sitosterol.

Um glicósido naringenina ocorre nos segmentos da polpa. Feruloylputrescine é encontrado no suco e folhas. Folhas de pomelo maduras contêm flavonoides, apigenina 7 beta-rutinoside. Folhas jovens contêm 7 beta-neohesperidosido e 7 b-rutinoside de naringenina.

Composição de alimentos por 100 gramas de parte comestível [7]

Pomelo cru, rosa e vermelho
Principais Minerais Vitaminas
Umidade % 88,06 Cálcio mg 22 Vitamina E (alfa-tocoferol) mg 0,13
Energia 42 kcal Magnésio mg   Vitamina A IU  1150
Proteína g 0,77 Zinco mg 0,07 Vitamina A RAE µg 58
Lipídeos total (gordura) g 0,14 Fósforo mg 18 Tiamina mg 0,043
Colesterol mg 0 Ferro mg 0,08 Riboflavina mg 0,031
Carboidrato por dif. g 10,66 Sódio mg 0 Piridoxina B6 mg 0,053
Fibra alimentar, total g 1,6 Potássio mg 135 Niacina mg 0,204
Açúcares, total g 6,89     Vitamina C mg 31,2
        Folato DFE µg  13

Outros usos [6]

Resíduos de processamento de pomelo são convertidos em melaço para o gado. Cascas de sementes, após a extração do óleo, servem como condicionador do solo ou, em combinação com a polpa seca, na alimentação de bovino. Um processo de desintoxicação deve preceder esse produto na alimentação de porcos ou aves.

Costuma-se aproveitar a madeira de árvores velhas. Galhos podados e árvores derrubadas dão boa lenha.

Interação com medicamentos [5]

Pesquisas apontam para mais de 85 interações medicamentosas com pomelo (por exemplo medicamentos contra colesterol, pressão arterial elevada, câncer), 43 das quais podem ser graves. Interações podem se dar com a fruta fresca, suco ou o concentrado congelado.

 Referências

  1. EMBRAPA: "Flame" - Pomelo de polpa bem vermelha e sem sementes - Acesso em 12 abril  2015
  2. Citrus Page: Grapefruit Citrus x paradisi - Acesso em 12 abril  2015
  3. Plant Resources of Tropical Africa (PROTA4U): Citrus paradisi Macfad.  - Acesso em 12 abril  2015
  4. Plant Resources of South-East Asia (PROSEA): Citrus × paradisi Macfad. - Acesso em 12 abril  2015
  5. Drugs.com: Grapefruit and Medicines - A Possible Deadly Mix? - Acesso em 12 abril  2015
  6. Purdue University: Grapefruit - Citrus paradisi - Acesso em 12 abril  2015
  7. United States Department of Agriculture (USDA): Grapefruit, raw, pink and red, all areas - Acesso em 12 abril  2015
  8. Imagem: Citrus Page (Author: Joe Real) - Acesso em 12 abril  2015
  9. The Plant List: Citrus paradisi Macfad. - Acesso em 12 abril  2015

GOOGLE IMAGES de Citrus paradisi - Acesso em 12 abril  2015
 

Galeria: