Noz-moscada, moscadeira

Nome científico: 
Myristica fragrans Houtt.
Sinonímia científica: 
Aruana silvestris Burm.f.
Família: 
Myristicaceae
Partes usadas: 
Semente ralada, óleo de noz-moscada
Princípio ativo: 
Óleo essencial (10 %) composto principalmente por hidrocarbonetos de terpeno (sabineno, pineno, canfeno, p-cimeno e outros); derivados de terpeno (linalol, geraniol) e fenilpropanóides (miristicina, elemicina, safrol, eugenol, derivados de eugenol).
Propriedade terapêutica: 
Inseticida, fungicida, afrodisíaca,
Indicação terapêutica: 
Infecções respiratórias, problemas digestivos, regeneração de células hepáticas,coadjuvante em casos de depressão, prevenção de tumores,problemas de pele, redução de azia,reumatismo,espasmo muscular, aumento de apetite, alivio de diarréia, incontinência.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: nutmeg, mace
  • Alemão: muskatnuss, muskatnussbaum, muskatnuß
  • Francês: muscadier commun, noix muscade
  • Italiano: noce moscata

Origem
Originária das Ilhas Banda, um grupo de dez pequenas ilhas vulcânicas no Mar de Banda, fazem parte da província Indonésia das Ilhas Molucas. Atualmente os principais produtores são a Indonésia e Granada (Caribe). Este país exibe a noz-moscada em sua bandeira pois é o principal item de exportação.

Descrição
A noz-moscada é uma especiaria que consiste da semente de Myristica fragrans, conhecida popularmente como moscadeira. Tem fragrância picante característica e sabor quente, ligeiramente doce. É usada para dar sabor a vários tipos de pães, doces, pudins, carnes, salsichas, molhos, legumes e bebidas como a gemada. Seu sabor lembra uma mistura de pimenta-do-reino com canela, porém mais sutil e aromático. Por ser levemente adstringente, resulta melhor em pratos salgados.

Na Indonésia é usada para fazer uma deliciosa geléia com agradável aroma (selei buah pala). 

A árvore é perene, dióica, pode atingir uma altura de cerca de 20 m. Produz frutos após 8 anos da semeadura e continuará produzindo por 60 anos ou mais. O fruto é uma drupa de aparência semelhante a um damasco. Quando amadurece totalmente divide-se em dois, expondo um arilo de cor carmesim (um tom entre o vermelho e o rosado), denominado macis ou clava, em torno de uma única semente marrom brilhante, a noz-moscada. O arilo é uma cobertura carnuda de certas sementes, formando estruturas semelhantes a um fruto (chamado de falso fruto).

Tanto a noz-moscada quanto a macis são fortemente aromáticas, resinosas e quente no sabor.

Componentes
Noz-moscada contém óleo essencial (10 %) composto principalmente por hidrocarbonetos de terpeno (sabineno e pineno; ainda canfeno, p-cimeno, felandreno, terpineno, limoneno, mirceno em conjunto 60 a 80 % ), os derivados de terpeno (linalol, geraniol, terpineol juntos 5 a 15 % ) e fenilpropanoides (miristicina, elemicina, safrol, eugenol e derivados de eugenol em conjunto 15 a 20 %). 

Uso popular e medicinal
Os efeitos benéficos são atribuídos a miristicina destacando-se dentre eles as ações inseticidas e fungicidas. Comprovou-se que a miristicina, se administrada corretamente, é capaz de estimular a regeneração das células hepáticas, aumentar a contração muscular da bexiga, útero e intestino, ativar a grutationa S transferase (preventivo na formação de tumores) e ajudar em casos de depressão. 

Usos etnobotânico
Desde quando a noz-moscada tornou-se popular como condimento, também tem sido utilizada para fins de cura no Oriente Médio, Índia e China. Muitas aplicações medicinais foram aprovadas por médicos europeus. Noz-moscada tem sido usada para tratar reumatismo na Indonésia, Malásia, Inglaterra e China. O óleo essencial é utilizado externamente para tratar dores reumáticas, dores nos membros, dores generalizadas e inflamação. Na Inglaterra até o século XX, a noz-moscada era comum carregá-la no bolso para afastar as dores do reumatismo.

Na Malásia e na Índia a noz-moscada tem sido usada por seu efeito sedativo para tratar queixas nervosas. Os habitantes das Molucas misturam a noz-moscada ao leite ou a uma bebida de banana para dar às crianças como auxiliar do sono. Noz-moscada também tem sido amplamente utilizada como um analgésico.

O uso mais amplo da noz-moscada é provavelmente para tratar problemas de estômago, cólicas, favorecer a digestão e dissipar gases. Tomada regularmente e em pequenas quantidades, também é tida como promotora do humor e redutora do estresse e ansiedade.

Existem relatos de que quando o ser humano ingere noz-moscada ele "abre o seu coração e seu sentido fica puro". Se moer a noz-moscada na mesma quantidade de canela e alguns cravos, juntar a esse pó um pouco de água e ingerir vai "abaixar a amargura do coração e da mente e abrir os seus sentidos entorpecidos, o espírito ficará feliz, purificado e a mente limpa, os fluidos ruins serão rebaixados e o sangue revitalizado".

 Dosagem indicada

Há uma receita da nóz-moscada indicada como afrodisíaca e para vários casos como problemas de pele, redução da azia, reumatismo, espasmo muscular, aumento do apetite, alívio da diarreia e incontinência. Na medicina ayurvédica é usada contra ejaculação precoce.

A parte usada são as sementes mas grande cuidado deve ser tomado para não usar excessivamente, pois é um ingrediente muito potente, pode causar dores de cabeça e levar ao delírio. A semente ralada pode ser mergulhada na água. Não utilizar durante a gravidez.

O modo de uso comum é fazer uma infusão:

  • Derramar uma xícara de água fervente sobre o material a ser infundido.
  • Deixar repousar por 5 minutos, coar e beber.
  • Se usar material vegetal fresco, 1/4 de copo é suficiente. 
  • Se usar material seco, bastam 2 colheres de chá.
  • Casca ou sementes: use 2 colheres de chá de sementes ou 1 colher de sopa de casca. 

Pode-se melhorar o sabor da infusão adoçando-a com mel ou uma pitada de suco de limão.

Cuidados gerais ao usar esta receita

Somente use esta receita se tiver certeza do material que está manipulando. Se tiver algum problema, consulte um especialista. Não tome a infusão continuamente, tome no máximo por 10 dias, em seguida pare por 5 dias. Tome não mais que 1 copo de infusão por dia. Lembre-se de que certos produtos são potentes e podem causar efeitos colaterais.

Atenção com a miristicina
Todas as referências a esta planta relatam que embora apresente propriedades medicinais, o componente miristicina pode atuar como narcótico 
e tóxico se ingerido em grandes quantidades. Segundo pesquisa científica, são necessárias 20 gramas de noz-moscada para desencadear efeitos psicoativos e alucinógenos. Nesta massa estão contidos aproximadamente 210 mg de miristicina, 70mg de elemicina e 39mg de safrol, que podem ser convertidos para as formas potencialmente causadoras de dependência química semelhante a causada pelo consumo de anfetaminas.

 Referências

GOOGLE IMAGES de Myristica fragrans
 

Galeria: