Mirtilo, mirtileiro

Nome científico: 
Vaccinium myrtillus L.
Sinonímia científica: 
Vaccinium myrtillus subsp. oreophilum (Rydb.) Á. Löve, D. Löve & B.M. Kapoor
Família: 
Ericaceae
Partes usadas: 
Fruto, folha.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Taninos (1,5%), antocianinas, flavonoides, mirtilina (corante azul natural da planta), sais orgânicos, arbutina e glicosídeos.
Propriedade terapêutica: 
Adstringente, tônico, antibacteriano, hipoglicemiante, antioxidante, anti-inflamatório.
Indicação terapêutica: 
Diarreias, melhorar a visão noturna, retinopatia diabética, falta de perfusão renal, pé diabético, redução de colesterol ruim..

Nome em outros idiomas

  • Inglês: bilberry, European blueberry, whortleberry, huckleberry, black whortles
  • Alemão: heidelbeere, blaubeere
  • Italiano: mirtillo nero
  • Espanhol: arándano

Origem

Mirtilo é nativo de várias regiões da Europa e Estados Unidos. Vive em regiões nas quais o inverno é bastante rigoroso, daí a dificuldade em cultivá-lo no Brasil [3,4].

Descrição
Planta de porte arbustivo, caducifólia (perde as folhas no inverno). De sabor agridoce, o fruto é uma baga de cor azul escura, formato achatado, coroada pelos lóbulos persistentes do cálice, com aproximadamente 1 a 2,5 cm de diâmetro e 1,5 a 4 g de peso. Apresenta em seu interior muitas sementes [3,4].

Uso popular e medicinal
A planta é usada há muitos anos na medicina tradicional europeia. Historicamente o fruto foi usado para tratar diarreia, escorbuto e outras condições. Atualmente é utilizado como um remédio popular para a diarreia, cãibras menstruais, problemas oculares, veias varicosas, insuficiência venosa (uma condição na qual as veias não retornam o sangue a partir das pernas para o coração) e outros problemas circulatórios. As folhas são indicadas para outros fins, incluindo diabetes. O fruto pode ser ingerido ou feito em extrato. Da mesma forma, as folhas podem ser feitas em extratos ou utilizadas em chás [1].

Suas propriedades medicinais incluem combate aos radicais livres, efeito anti-inflamatório, melhora da circulação e redução do colesterol ruim, prevenção ou reversão de catarata e glaucoma. Nos Estados Unidos e Europa o consumo é elevadíssimo e a fruta ganhou fama de promover a longevidade.

Atua em casos de diarreias graves. Indicado para ação local no alívio de inflamações na boca e catarros. Já foi muito utilizado contra febres. É atribuída à mirtilina a ação antibactericida. Possui um valor nutritivo indiscutível, talvez seja esta razão que ajuda a melhorar a visão noturna, devido a presença de vitaminas.

Mirtilo é uma planta que trabalha bem na restauração da pequena circulação e por isto é usada em retinopatia diabética, falta de perfusão renal, pé diabético, etc.

Por causa da quantidade de água, o mirtilo é bastante perecível, o que tem motivado o estudo de processos de desidratação da fruta como técnica de conservação e a extração da antocianina, pigmento que dá a coloração roxo-azulada e que concentra as propriedades medicinais da fruta. O mirtilo contém 25 tipos de antocianina, uma quantidade impressionante maior do que em qualquer outra fruta ou legume. Pretende-se extraí-la para destinação a fármacos, estando aí o maior interesse [2].

Valor nutricional [2]
Mirtilo é referido na literatura como fruta saudável, com baixíssimos teores de gordura, sódio e boa fonte de fibra e vitamina C. Uma xícara de mirtilo fresco fornece 5 g de fibra, mais do que a maioria das frutas e legumes e 15% da necessidade diária de vitamina C, com valor calórico de apenas 80 calorias.

 Culinária
Além do consumo in natura, o fruto pode ser empregado tanto em pratos doces como salgados como müsli, marmelada, vinho e bolos. Seu suco era empregado para tingir vinhos tintos.

 Colaboração
Luis Carlos Leme Franco, médico e professor de Fitoterapia (Curitiba, PR). Maio, 2004.

 Referências

  1. National Center for Complementary and Integrative Health (2012): Bilberry - Acesso em 25 de janeiro de 2015
  2. Jornal da UNICAMP (2009): Pesquisadora obtém mirtilo em pó e passa - Acesso em 25 de janeiro de 2015
  3. EMBRAPA Uva e Vinho: Mirtilo - Aspectos gerais da cultura - Acesso em 25 de janeiro de 2015
  4. EMBRAPA Clima Temperado (2008): Fenologia, produção e qualidade de frutos de mirtilo - Acesso em 25 de janeiro de 2015
  5. Imagem: Wikimedia Commons (Author: B.navez) - Acesso em 25 de janeiro de 2015
  6. The Plant List: Vaccinium myrtillus - Acesso em 25 de janeiro de 2015

GOOGLE IMAGES de Vaccinium myrtillus - Acesso em 25 de janeiro de 2015

Galeria: