Ginseng-brasileiro

Nome científico: 
Pfaffia iresinoides (Kunth.) Spreng.
Sinonímia científica: 
Gomphrena iresinoides var. riedeliana Seub.
Família: 
Amaranthaceae
Partes usadas: 
Raiz
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Vitaminas A, B2, B3, B12, C, D, E, F, ácido pfáfico, fosfosideos, estigmasterol, sitosterol, alantoína, fósforo, cálcio, potássio, aminoácidos, mucilagem, saponinas.
Propriedade terapêutica: 
Estimulante físico e psíquico, afrodisíaco, estimulante sexual, antiestresse.
Indicação terapêutica: 
Câncer, dor de cabeça, cefaléia, anemia, fadiga, estresse.

Origem
Brasil

Descrição
A pfaffia é excelente fonte de hormônios. É uma planta pouco estudada no exterior, onde é tida como usável em caso de esterilidade masculina, à semelhança do ginseng koreano, este sim bastante conhecido.

É chamado "ginseng" porque suas raízes são semelhantes a uma figura humana (shen, em chinês, o Hen shen ou ginsheng, em chinês é seu nome).

Para o povo é física e psiquicamente droga estimulante, apoiadora em caso de injúria (estresse), cefaléia de origem digestiva, além de ser útil em caso de depressão leve e antifadigosa.

Tem propriedades cicatrizante, antitóxica, analgésica e potencializadora da ação da insulina. Fortalece o coração, melhora a circulação.

Ativa a formação de glóbulos sanguíneos brancos e/ou vermelhos, portanto é útil para aumentar a defesa orgânica e ajudar na cura de anemia por falta de ferro, se isto for causado por pouca celularidade.

Pesquisas mostram que ela restaura também o formato das células sanguíneas e pode ajudar na anemia falciforme. Indicada também como miorrelaxante. É vendida como afrodisíaca pelos hervanários, já que é grande estimulante geral, inclusive sexual, além de antiestressante.

Dentre os constituintes estão vitaminas (A, B2, B3, B12, C, D, E, F), ácido pfáfico, fosfosídeos, estigmasterol (hormônio), sitosterol (outro hormônio), alantoína (bom cicatrizante de feridas), fósforo, cálcio, potássio, aminoácidos, mucilagem e saponinas (foram descobertas seis, por Kamadawa, na Escola de Farmácia da Universidade de Hokuriku, Japão). Diminui a tensão superficial, como o sabão, o que facilita a ação de todas as outras substâncias acima.

Pesquisas recentes verificaram que o ácido pfáfico atua inibindo crescimento de tumores, o que pode levá-la a ser usada em cânceres.

Aconselha-se usá-la em pó da raiz na quantidade de 5 a 10 g ou por decocção da raiz (10 g também) ao dia. Há cápsulas no mercado.

 Efeitos adversos
Se doses maiores forem fornecidas pode ocorrer nervosismo, pressão alta, diarréia, insônia (pois é estimulante) e erupções na pele. Todos o medicamentos, fitoterápicos ou não, podem ter efeitos adversos se não forem usados convenientemente, daí o risco da automedicação, sem orientação de um médico.

 Dosagem indicada
Antifadiga
Colocar uma colher de sobremesa de raiz fatiada (ou uma de pó) em uma chávena e adicionar água fervente. Abafar por dez minutos, esperar esfriar um pouco e coar. Tomar uma chávena em jejum pela manhã e outra à noite.

Antifadiga e antianêmica 
Colocar três colheres de sopa de raiz fatiada ou duas colheres de pó em uma garrafa de vinho branco seco. Deixe macerar por uma semana, agitando o vaso de vez em quando e coe. Tomar um cálice de duas a três ao dia, antes das principais refeições.

Tônico 
Em uma chávena, colocar uma colher de sobremesa de pó de fáffia e uma de pó de guaraná, adicionando-se água fervente. Abafar por dez minutos. Tomar uma chávena após o desjejum e outra à tarde.

Cefaléia, estresse 
Raiz fatiada (duas colheres de sopa) ou uma de pó, dever ser colocada em uma chávena de álcool de cereais a 60 %. Deixando-se tudo em maceração por dez dias, coe em pano, espremendo bem o conteúdo. Tome de 10 a 15 gotas ou uma colher de chá em pouco de água, duas vezes ao dia (uma pela manhã e outra a noite).

 Colaboração

  • Luiz Carlos Leme Franco, médico e professor de Fitoterapia (Curitiba, PR), agosto de 2004.

 Referências

  1. FRANCO, L. C. L.; LEITE, R. C. Fitoterapia para a mulher. Corpomente, Curitiba (PR). 2004.
  2. Imagem: Kew Royal Botanic Gardens - Acesso em 22/2/2015
  3. The Plant List: Pfaffia iresinoides - Acesso em 22/2/2015

GOOGLE IMAGES de Pfaffia iresinoides - Acesso em 22/2/2015

Galeria: