Funcho

Nome científico: 
Foeniculum vulgare Mill.
Sinonímia científica: 
Anethum dulce DC.
Família: 
Apiaceae
Partes usadas: 
Folha, frutos secos (em geral o fruto é confundido com "semente"), raiz, pólen.
Princípio ativo: 
O óleo essencial da variedade mais importante (var. dulce) contém anetole (50 a 80%), limoneno (5%), fenchone (5%), estragole (metil chavicol), safrol, α-pineno (0,5%) , canfeno, β-pineno, β-mirceno e p-cimeno.
Propriedade terapêutica: 
Carminativo, galactagogo, digestivo, diurético, tônico geral, antiespasmódico.
Indicação terapêutica: 
Cólica de criança, espasmos, problemas digestivos, gases (estômago, intesttino).

Formulário de Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira
Funcho tem uso científico comprovado como antiflatulento, antidispéptico e antiespasmódico.​

Nome em outros idiomas

  • Inglês: fennel, sweet cumin
  • Francês: fenouil, aneth doux
  • Alemão: fenchel
  • Italiano: finocchio
  • Espanhol: hinojo
Origem

Planta de longa tradição já utilizada no antigo Egito e pelos povos do Mediterrâneo. Conhecida pelos gregos e espanhóis que a introduziram na Europa Central durante a Idade Média e mais tarde levaram para a América, onde se aclimatou e pode ser encontrada em estado selvagem.

Descrição
Planta perene, forma uma roseta de folhas ao nível do solo, no centro do qual se desenvolve uma haste reta e ramificada que pode chegar a 2 m de altura, verde, com poucas folhas. As hastes culminam em umbelas numerosas (grupos de guarda-chuva em forma de flores) compostas de várias pequenas flores amarelas. O fruto, cinza escuro quase preto, cheira agradavelmente como o anis. 

Toda a planta possui essência rica em anetol, o mesmo composto presente no anis, por isso em vários países não se distinguem claramente entre erva-doce e anis.

O nome Foeniculum é derivado do latim feniculum ou foeniculum, diminutivo de fenum, cujo significado é feno, palha ou forragem, provavelmente devido ao aroma. O nome erva-doce ou anis é usado em muitas línguas européias contemporâneas. 

Uso popular e medicinal
Funcho contém anetol que atua como fitoestrógeno. Em virtude das suas propriedades aromáticas e carminativo, é usado principalmente como purgante e para corrigir a flatulência de lactentes. O chá é empregado como um carminativo. O xarope preparado a partir de suco de funcho já foi usado no passado para tosses crônicas.

Preparo e dosagem

Antiflatulento, antidispéptico, antiespasmódico (uso interno). Componentes: frutos secos (10 g); álcool 70 % p/p q.s.p. (100 mL). Orientações para o preparo: estabilizar o material vegetal submetendo à secagem em estufa a 40C por 48 h. Triturar os frutos em contato com o solvente e extrair por percolação. Acondicionar em frasco de vidro âmbar bem fechado em local fresco, seco e ao abrigo da luz. Modo de uso: acima de 12 anos, tomar 50 gotas (2,5 mL) da tintura em 75 mL de água 1 a 3 vezes ao dia. Advertência: não usar em gestantes, lactantes, crianças menores de 2 anos, alcoolistas, diabéticos e pessoas com síndromes que cursem com hiperestrogenismo. Evitar o uso em pessoas alérgicas ou com hipersensibilidade ao funcho. Doses acima das recomendadas não devem ser utilizadas por longos períodos de tempo, pois podem aparecer reações alérgicas na pele e no sistema respiratório [1].

Carminativo, galactagogo, digestivo. Infusão: 1 xícara de cafezinho de frutos secos em 1/2 litro de água. Para gases (carminativo) tomar 1 xícara de chá a cada 6 h. Para estimular a secreção de leite materno (galactagogo) ingerir 1 xícara de chá a cada 4 h. Como digestivo, tomar 1 xícara de chá de ½ em ½ hora, 2 horas antes das refeições.

Vinho medicinal. Tônico. Macerar por 10 dias 30 g de sementes em 1 litro de vinho. Coar, tomar 1 cálice antes de dormir.

Cólica de crianças. Decocção. Ferver por 5 minutos 1 colher de sementes em 100 ml de água, dar à criança no intervalo das mamadas.

Culinária
O funcho está bem enraizado na cozinha chinesa como principal componente da conhecida "mistura das cinco especiarias", assim como em várias cozinhas regionais da Índia, particularmente em Bengala. Na Caxemira e no Sri Lanka, frutos de funcho tostados são um dos ingredientes responsáveis ​​pelo aroma sutil e complexo de receitas muito apreciadas.

O funcho também é usado em legumes em conserva, em vinagre com ervas, tortas e doces.

Como planta nativa do Mediterrâneo, seu uso é comum no sul da Europa em carnes, aves e peixes. É bastante popular no sul da França onde faz parte da famosa mistura "Ervas de Provence".

É muito apreciado na Itália onde é denominado Especiaria dos Anjos. É empregado em salsichas ou molhos para massas. Junto a outras ervas (tomilho, orégano) em marinadas de azeite, são consumidos com vegetais e frutos do mar. Os legumes marinados são geralmente consumidos como aperitivos (antipasti), juntamente com o pão branco e vinho tinto. O pólen de funcho tem um cheiro picante que melhor complementa sabores frutados como encontrado na comida italiana, em particular no Sul deste país. Um prato bem saboroso é o risoto com tomate, pólen de funcho e uma pitada de tomilho.

Curiosidade
Na Grécia Antiga era designado por μάραθον (marathon), estando na origem do nome Maratona (que afinal, em português seria Funchal), o local da mítica batalha de Maratona travada em 490 aC. entre gregos e persas. A mitologia grega diz que Prometeu usou um talo de funcho para roubar fogo dos deuses.

Outros usos
O óleo essencial é utilizado na fabricação de licores e perfumes. As sementes são utilizadas na confeitaria como aromatizante de pães, bolos e biscoitos.

Dizem que o funcho em pó repele pulgas de canis e estábulos.

 Toxicologia
O uso de mais de 20 g/l dessa erva pode ser convulsivante.

 Colaboração

  • Imagem: Martha Batista de Lima, Pedagoga, terapêuta naturalista (Florianópolis, SC), outubro de 2007.

 Referências

  1. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), 1ª ed. 2011.
  2. Gernot-Katzer's Spice Pages: Fenell - Acesso em 17 de janeiro de 2016
  3. HIPERnatural: Hinojo - Acesso em 17 de janeiro de 2016
  4. Wikipédia: Funcho - Acesso em 17 de janeiro de 2016
  5. Imagem (bulbo): Forest & Kim Starr - Acesso em 17 de janeiro de 2016
  6. The Plant List: Foeniculum vulgare - Acesso em 17 de janeiro de 2016

GOOGLE IMAGES de Foeniculum vulgare - Acesso em 17 de janeiro de 2016

Galeria: