Fitoterapia e obesidade

Sempre soube que a maneira saudável de perder peso é seguir uma dieta rigorosa acompanhada de exercícios físicos.

E a fitoterapia? A fitoterapia pode ajudar nesta missão, pois algumas plantas têm propriedades sedantes, redutoras de apetite e diuréticas e atuam como complemento ao tratamento contra obesidade. 

As plantas sedantes auxiliam a diminuir a ansiedade de comer de forma descontrolada. As plantas redutoras de apetite, como as algas, são ricas em mucilagens e absorvem grande quantidade de água no estômago. As plantas diuréticas evitam a retenção de líquido que se produz em caso de obesidade, ajudam a perder peso e facilitam a eliminação de substâncias residuais que sobrecarregam o organismo.

Algumas plantas com essas propriedades são:

Verbena, erva-do-fígado (Verbena officinalis): sedante e diurética suave. Modo de uso: infusão ou decocção da planta. Usar a planta fresca.

Alho (Allium sativum): ativa o metabolismo, favorece a eliminação de substâncias residuais. Modo de uso: cru, extratos, decocção de dentes de alho.

Erva-do-coalho, erva-coalheira (Galium verum): diurética, evita  a retenção de líquidos nos tecidos. Modo de uso: infusão de sumidades floridas.

Abacaxi (Ananas sativus): redutor de apetite. Modo de uso: fruto fresco ou em sumo.

Erva-das-pulgas, zaragatoa (Plantago indica, mais conhecida pelo sinônimo Plantago psyllium): produz sensação de saciedade no estômago, diminui o apetite. Modo de uso: maceração de sementes.

Alga vesiculosa, bodelha (Fucus vesiculosus): produz sensação de saciedade no estômago, diminui o apetite. Modo de uso: consumir a alga fresca (como verdura), em decocção, infusão ou pó.

Laminária (Laminaria saccharina), produz sensação de saciedade no estômago, diminui o apetite. Modo de uso: alga cozida ou em decocção. Laminária e outras algas são estimulantes do metabolismo pelo conteúdo de iôdo, por isso se recomendam aos obesos e àqueles que sofrem de hipotiroidismo. Não pertence ao reino das plantas.

Alface-brava-maior (Lactuca virosa): sedante, acalma a excitação nervosa. Modo de uso: decocção de folhas, sumo fresco.

Manjerona (Origanum majorana): as propriedades da manjerona são as mesmas do alface-brava-maior.

Aspargo (Asparagus officinalis): diurética, atua sobre o rim quando deseja-se estimular a função renal, especialmente em caso de obesidade, contém pouquíssimas calorias. Preferir o aspargo verde, que apresenta maior concentração de princípios ativos. Partes usadas: caules tenros e a raiz. Modo de uso: raiz seca, usa-se em infusão à razão de 50 g/l, tomar 3 chícaras ao dia.

Outras plantas úteis contra obesidade
Além das espécies acima descritas, quatro outras plantas são frequentemente citadas como de efeito terapêutico comprovado, mas é recomendável pesquisar mais profundamente.

Chá-verde (Camellia sinensis), usado na culinária como suco emagrecedor, pode ser misturado a outros ingredientes numa receita que ajuda a acelerar o metabolismo e a queimar gorduras.

Garcinia gummi-gutta, mais conhecida pelo sinônimo Garcinia cambogia, pequena árvore cujo fruto contém em sua pele o ácido hidroxicítrico, que inibe o armazenamento de gorduras e causa outros efeitos positivos como controlar desejos, frear o estresse e estimular a liberação de serotonina, que está relacionada ao controle de apetite.

Feijão comum, feijão branco (Phaseolus vulgaris), o extrato de feijão branco é uma substância natural comumente vendido em forma de suplemento como "bloqueador de amido". Estudos concluem que o extrato de feijão branco pode diminuir a atividade da alfa-amilase (uma enzima que ocorre naturalmente no corpo), ficando menos glicose no corpo a se transformar em gordura.
 
Konjac (Amorphophallus konjac), o glucomanano é uma fibra dietética derivada dos tubérculos de Amorphophallus konjac. A farinha de konjac (feita a partir destes tubérculos) é um componente de um produto alimentar comum no Japão conhecido como konyaku. É indicado para pessoas que têm dificuldade em consumir a fibra dos alimentos.

Pipoca
O consumo de pipoca, quem diria, em quantidade moderada pode estar relacionado à perda de peso. Isto porque como possui muitas fibras aumenta-se o tempo de digestão no estômago levando a uma maior saciedade no indivíduo.

 Referências