Fibromialgia

Esse post é uma contribuição ao entendimento de como a Fitoterapia pode colaborar no tratamento da fibromialgia, com base nos documentos que pude consultar. Fibromialgia é uma síndrome comum em que a pessoa sofre de dores em todo o corpo por longos períodos, com sensibilidade nas articulações, músculos, tendões e em outros tecidos moles. Também está relacionada a fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça, depressão e ansiedade.

Há o enfoque bastante interessante da medicina chinesa. Em primeiro lugar, reconhece a dificuldade da medicina tradicional em tratar esse caso. Vou reproduzir um trecho: "De acordo com a teoria Médica Chinesa a maioria dos pacientes com SFM (síndrome da fibromialgia) possui uma desarmonia do fígado e pâncreas (em seus mecanismos de doenças), isto quer dizer que seus fígados estão deprimidos, seus rins estão estagnados e seus pâncreas estão vazios e fracos."

A sugestão é então tratar esses órgãos. Um bom caminho é usar as plantas coleréticas e colagogas. Plantas com ação colerética aumentam a quantidade de bílis segregada pelo fígado, descongestionam o fígado e favorecem a digestão. Plantas colagogas facilitam o esvaziamento da bílis contida na vesícula biliar para o duodeno. Aliado ao uso dessas plantas, sugere-se ainda outros tratamentos alternativos como acupuntura, moxabustão, shiatsu, massagem com aromaterapia e reflexologia.

Segue algumas plantas mais indicadas para o mau funcionamento do fígado.

  • Verbena. Descongestiona o fígado, antiespasmódica. Modo de uso: infusão, decocção.
  • Cebola. Estimula as funções metabólicas e de desintoxicação do fígado. Modo de uso: crua, sumo fresco, cozida ou assada.
  • Alcachofra. Protetora do fígado, colerética. Modo de uso: infusão de folhas, caule e/ou raízes, sumo fresco de folhas, extratos.
  • Boldo. Potente colerético e colagogo, facilita o esvaziamento da bílis. Modo de uso: infusão de folhas, extratos.
  • Rabanete. Descongestiona e desintoxica o fígado, regenera as suas células. Modo de uso: cru, sumo fresco.
  • Cardo-de-santa-maria (ou cardo-mariano). Estimula a regeneração das células hepáticas danificadas. Modo de uso: salada de folhas, infusão ou decocção de frutos, extratos.
  • Dente-de-leão. Aumenta a produção de bílis e facilita o seu esvaziamento. Modo de uso: salada, sumo fresco, infusão de folhas.
  • Absinto (ou losna). Descongestiona o fígado, estimula as suas funções. Modo de uso: infusão, maceração.
  • Chicória. Favorece a secreção de bílis, descongestiona o fígado. Modo de uso: salada, sumo fresco, infusão.
  • Genciana. Estimula a secreção e o esvaziamento da bílis. Modo de uso: maceração, decocção, pó ou extrato de raiz.
  • Tamarindo. Colerético e colagogo suave. Modo de uso: a polpa dos frutos.
  • Hortelã-pimenta. A sua essência é ativa contra o vírus da hepatite A. Modo de uso: essência, infusão.
  • Videira: Digestiva, fornece açúcares e outros nutrientes de grande valor biológico. Modo de uso: frutos (uvas), cura de uvas.

Outra abordagem para o tratamento da Fibromialgia

Há uma outra abordagem que consiste em utilizar plantas cujas funções estejam relacionadas ao relaxamento da tensão, alivio da dor, purificação do corpo e estimular o sono.

Uso interno

  • Salgueiro ou chorão (Salix alba). O salgueiro auxilia no tratamento da fibromialgia devida a sua quantidade de salicina, da qual originou a aspirina. Decocção de uma pitada (2 g) da casca seca para cada xícara de água. Tomar de 2 a 3 xícaras por dia. Crianças entre 4 e 10 anos deve utilizar meia dose. Não ingerir se a pessoa for alérgica a aspirina. Seu uso por longo período pode causar irritação estomacal.
  • Gengibre (Zingiber officinale). O gengibre é um dos melhores anti-inflamatórios e analgésicos. Sua ingestão reduz a dor da fibromialgia. Ingerir 2 colheres (de chá) de gengibre em pó espalhado em uma torrada 2 vezes ao dia.
  • Hipericão ou erva-de-são-joão (Hypericum perforatum). Constitui-se em bom remédio para dores corporais especialmente reumatismo, gota, artrite, nervo ciático, dores lombares, etc.. Fazer a infusão de uma colherada da parte superior da planta (folhas, caule e flor) em uma xícara de água 2 vezes ao dia. Esta é uma planta fototóxica (irritação resultante de alterações moleculares na estrutura de substâncias químicas aplicadas à pele, induzida pela luz).
  • Tília (Tilia sp). Útil para eliminar dores de cabeça de origem emocional. Fazer a infusão de uma colher (de chá) da parte superior da planta por xícara de água. Tomar 3 xícaras por dia.
  • Pimenta de caiena (Capsicum frutescens). A infusão da pimenta de caiena pode ajudar a amenizar a dor. Fazer infusão de um quarto de colher (de chá) de pimenta caiena em um copo de água quente. Beber ao longo do dia em pequenos goles.
  • Valeriana (Valeriana officinalis). Elimina a ansiedade e promove o sono. Fazer infusão de 15 g da raiz da planta, possibilita descansar a noite toda.
  • Flor de maracujá (Passiflora caeurulea). Infusões e tinturas de maracujá são adequadas para evitar espasmos causados pelo sistema nervoso sob estresse. Fazer infusão de 2 colheres (de chá) da planta seca por 500 ml de água. Beber duas xícaras pequenas por dia. Pode-se também macerar a quantia desejada da planta seca com a mesma quantidade de álcool. Coar e tomar 25 gotas por dia durante uma semana.

Uso externo

  • Alecrim (Rosmarinus officinalis), tomilho (Thymus vulgaris) e salvia (Salvia officinalis) são relaxantes musculares poderosas. Friccionar a área dolorida com uma mistura de óleo essencial de alecrim, tomilho e salvia, com 2 colheres de óleo de oliva. Não beber. Pode-se também adicionar 20 gotas do óleo essencial à agua da banheira e banhar-se de 15 a 20 minutos. Ou ainda adicionar ao banho uma infusão de 3 colheres da planta seca em um litro de água, banhar-se de 15 a 20 minutos.
  • Pimenta-de-caiena (Capsicum frutescens). A capsaicina extraída desta planta (veja quadro) é apropriada para o tratamento externo da fibromialgia. Cremes ou pomadas devem ser aplicados de 2 a 3 vezes ao dia. Em poucos dias pode-se notar o efeito.

    Descontinuar o tratamento se não perceber nenhuma melhora após algumas semanas ou se ocorrer piora das condições. 

Capsaicina é o componente ativo das pimentas conhecidas internacionalmente como pimentas chili, gênero Capsicum. É irritante para os mamíferos incluindo os humanos e produz uma sensação de queimação em qualquer tecido que entre em contato.

A capsaicina e diversos componentes correlatos são conhecidos como capsaicinoides, são produzidos como um metabólico secundário pelas pimentas chili, provavelmente para se proteger contra herbívoros. A capsaicina pura é um composto hidrofóbico, incolor, inodoro, de cristalino a graxo. 

 Colaboração

  • Carla Rafaela de Oliveira (Piracicaba, SP), estudante de Sistemas de Informação da UNIMEP.

 Referências

  1. Nonindo SPA ZEN: Tratamento da fibromialgia com a medicina chinesa - Acesso em 20 de dezembro de 2015
  2. ROGER, J.D.P. Plantas que curam - Enciclopédia das Plantas Medicinais. Publicadora Atlântico, v.1.
  3. Botanical Online: Natural treatment of fibromyalgia - Acesso em 20 de dezembro de 2015
  4. Delas.ig: O diagnóstico confuso da fibromialgia - Acesso em 20 de dezembro de 2015