Fedegoso

Nome científico: 
Senna occidentalis (L.) Link
Sinonímia científica: 
Ditremexa occidentalis (L.) Britton & Wilson
Família: 
Leguminosae
Partes usadas: 
Folha, raiz, semente.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Antraquinonas, xantonas, ácido cáprico, mirístico, palmítico, esteárico, oleico, óleo essencial, emodina.
Propriedade terapêutica: 
Diurético, colagogo, colerético, laxante, vermífugo, antisséptico, anti-inflamatório.
Indicação terapêutica: 
Hidropisia, icterícia, colecistite, insuficiência hepática, constipação intestinal, verminose, amenorréia, impigens, feridas, febre, erisipela.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: coffee senna, negro coffee, coffee weed, stinking weed, foetid cassia
  • Francês: bentamaré
  • Espanhol: bricho, brusca

Origem
Planta nativa do sul do Brasil, Uruguai e Argentina.

Descrição
Arbusto glabro que pode atingir 1 m de altura. Pelo nome de fedegoso, como é chamado no sul do país, ou mato-pasto no nordeste brasileiro, são conhecidas várias espécies deste gênero, todas utilizadas para os mesmos fins terapêuticos.

Possuem um odor fétido, o que deu origem ao seu nome: fedegoso. A raiz é a que produz odor mais pronunciado, indicando a presença de óleo essencial. Nela encontra-se também uma substância capaz de matar os peixes sem torná-los tóxicos, quando diluída na água. Esse fato a tornou conhecida e utilizada pelos índios em suas pescarias.

Uso popular e medicinal
Auxilia na regeneração tissular, estimulando o tecido. Estimula a secreção biliar, melhorando os problemas hepáticos, popularmente é o laxante.

Os constituintes químicos do fedegoso são ainda poucos estudados, sabe-se porém que suas sementes contém emodina, componente de ação purgativa.

 Dosagem indicada
Para consumo utiliza-se chá por decocção, usando-se 1 colher de sopa de raízes ou cascas esfareladas fervendo durante 15 minutos. Das folhas, sob infusão, empregam-se 10 g para 1 litro de água.

Hidropisia e problemas hepáticos: 1 gole de 2 em 2 horas.

Antitérmico: 20 g de raízes para 1 litro de água. Tomam-se 2 xícaras do chá, em pequenas doses diárias.

Erisipela: toma-se 1 gota do suco extraído das folhas tenras diluído em 1 colher de sopa de água, repetindo de ½ em ½ hora, até o desaparecimento dos sintomas.

 Contraindicação
Crianças e gestantes.

Interações
Não há referências na literatura estudada.

Precauções de armazenamento
Armazenar preferencialmente em local fresco, seco e arejado, ao abrigo de luz solar.

 Referências

  1. TESKE, Magrid; TRENTINI, Anny M. M. Compêndio de Fitoterapia. Herbarium Laboratório Botânico Ltda, Curitiba (PR). 3ª ed. revisada, 1995.
  2. Imagem: Encyclopedia of Ayurvedic Medicinal Plants - Acesso em 10 de janeiro de 2016
  3. The Plant List: Senna occidentalis - Acesso em 10 de janeiro de 2016

GOOGLE IMAGES de Senna occidentalis - Acesso em 10 de janeiro de 2016

Galeria: