Erva-dos-cantores

Nome científico: 
Sisymbrium officinale (L.) Scop.
Sinonímia científica: 
Erysimum officinale var. leiocarpum (DC.) Farw.
Família: 
Brassicaceae
Partes usadas: 
Folha, botão floral verde, semente.
Princípio ativo: 
Fenilpropanoides voláteis e não-voláteis, monoterpenos, flavonoides, polissacarídeos, glucosinolatos.
Propriedade terapêutica: 
Diurética, expectorante, laxante, estomáquico, rubefaciente, antisséptico, antimicrobiano, anticâncer.
Indicação terapêutica: 
Tratamento da perda da voz, faringite, rouquidão, bronquite, tosse, queixas da garganta.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: hedge mustard, singer's plant, tumbling mustard, oriental mustard, wild mustard

Origem
Nativa da Europa e Norte de África, está bem estabelecida no mundo todo. Encontrada em estradas, desertos, cresce como erva-daninha em áreas de cultivo.

Descrição [2]
O caule é hirsuto com entrenós muito curtos. As folhas basais formam uma roseta (conjunto de folhas em círculo na base da planta, em geral deitadas contra o chão). As folhas basais inferiores têm 10 cm de comprimento, pinnatisectas, com 3-5 pares de lobos dentados.

A planta inteira tem muitas vezes tonalidade cinza-verde. As flores são pequenas e em cachos, inflorescência sem brácteas. O fruto é uma síliqua (seco, deiscente, constituído de 2 carpelos, característico da família Brassicaceae) de forma cônica. Quando maduros liberam as sementes, que têm cerca de 1,5 mm de comprimento.

Uso popular e medicinal
A erva tem tradição histórica de uso (suco da planta misturado com mel ou açúcar) como diurético e expectorante, recomendada para a tosse crônica, rouquidão e ulceração da boca e rosto. 

Existe farta citação na literatura, as mais conhecidas são Hagers Handbuch (2a. ed.), Materia Medica Vegatabili, Précis de Matière Médicale (aparece como "Herbe aux Chantres"), Braun's Herbal Substances Lexicon, Potter’s New Cyclopedia of Botanical Drugs and Preparations e Compendium de Phytothérapie [7]. 

É conhecida como "erva-dos-cantores" em Portugal por que desde tempos antigos é usada no tratamento da perda da voz (afonia). Uma forte infusão de toda a planta tem sido também usada contra queixas da garganta. A planta seca é quase inativa, portanto recomenda-se usar quando recém-colhida [4].

Como espécie da familia Brassicaceae (a mesma do couve, couve-flor, repolho, brócolis, mostarda, agrião e outras tantas), erva-dos-cantores têm as mesmas propriedades dessas plantas: diurética, expectorante, laxante, estomáquico, rubefaciente (em contato com a pele provoca vermelhidão), antisséptico, antimicrobiano e anticâncer.

Acredita-se que grande parte dos atributos medicinais da família Brassicaceae deve-se aos óleos voláteis sulfurosos. Existe comprovação de  melhoria na saúde devido ao consumo regular dessas plantas. A pesquisa moderna tem jogado mais luz sobre a erva-dos-cantores. Muitas condições respiratórias podem ser aliviadas com esta erva. Acreditam que a propriedade anticâncer seja devida aos compostos glucosinolatos (veja quadro) [1] Compostos glucosinolatos são encontrados nos vegetais crucíferos, são fitonutrientes importantes promotores da saúde, pois deles são originados os isotiocianatos, substâncias que conferem proteção às células contra o estresse oxidativo [5].

Na composição fitoquímica foram detectados fenilpropanoides voláteis e não-voláteis, monoterpenos, flavonoides e polissacarídeos, mas os componentes bioativos característicos são os glucosinolatos (com predominância de putranjivine) [3].

Existe no mercado uma gama de produtos conhecidos por "xarope dos cantores" cujos ingredientes além de erva-dos-cantores são o sabugueiro (Sambucus nigra), óleo essencial de limão e amieiro. É indicado para quem faz uso intenso da voz: cantor, locutor, ator, professor, advogado etc..

 Dosagem indicada [6]
Faringite, rouquidão, afonia por laringite, bronquite, tosse. Preparar por infusão (uso interno), 50 g de flores em 1 litro de água. Adoçar com mel, tomar quente até seis xícaras por dia.

Uso externo (bochechos e gargarejos): usar a mesma infusão empregada para o uso interno. Cuidado para não engolir esse líquido.

 Culinária

Erva-dos-cantores é amplamente cultivada em toda a Europa pelas suas folhas e sementes comestíveis. As folhas novas - cruas ou cozidas, têm um sabor amargo parecido com couve, são usadas como condimento em saladas ou cozidas como espinafre. Cruas ou cozidas, com sabor de mostarda, as sementes são moídas em pó e servidas como uma papa, condimento em sopas ou feitas como pasta de mostarda.

Como as folhas de plantas mais velhas são em geral duras e grossas, sugere-se cortá-las finamente antes de adicionar a saladeira. Vai acrescentar sabor picante, apimentado e cor verde vibrante nos pratos. O sabor será rapidamente perdido quando cozinhar. Os botões pré-floração são suculentos e crocantes [1].

 Referências

  1. Permaculture (2013): Foraging for wild food and medicinal plants - Hedge Mustard Plant Profile - Acesso em 7 de agosto de 2016
  2. International Environmental Weed Foundation (IEWF): Sisymbrium officinale - Acesso em 7 de agosto de 2016
  3. Re.Herb: Sisymbrium officinale - Acesso em 7 de agosto de 2016
  4. Plants for a Future: Sisymbrium officinale - Acesso em 7 de agosto de 2016
  5. Portal Educação: Glucosinolatos: O que são? - Acesso em 7 de agosto de 2016  
  6. Portal Natural (1999): Erva-dos-cantores - Acesso em 7 de agosto de 2016 
  7. Herbal Reference: Sisymbrium - Hedge mustard - Acesso em 7 de agosto de 2016
  8. Imagem: Wikimedia Commons (Author: H. Zell) - Acesso em 7 de agosto de 2016 
  9. The Plant List: Sisymbrium officinale - Acesso em 7 de agosto de 2016 

GOOGLE IMAGES de Sisymbrium officinale - Acesso em 7 de agosto de 2016

Galeria: