Coentro

Nome científico: 
Coriandrum sativum L.
Sinonímia científica: 
Bifora loureiroi Kostel.
Família: 
Umbelliferae
Partes usadas: 
Folha, fruto (semente), raiz, óleo.
Princípio ativo: 
Óleo essencial composto principalmente de linalol e terpenos (pineno, γ-terpineno, mirceno, canfeno, felandreno, α-terpineno, limoneno, cimeno).
Propriedade terapêutica: 
Aromática, carminativa, expectorante, narcótica, estimulante, estomáquica.
Indicação terapêutica: 
Estimulante do apetite, flatulência, diarreia, cólica, dispepsia.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: coriander, Chinese parsley, cilantro
  • Alemão: koriander, körnerkoriander
  • Francês: coriandre, Punaise mâle, Persil arabe
  • Italiano: coriandolo
  • Espanhol: coriandro, cilantro

Origem
Regiões mediterrâneas (Sul da Europa, Oriente Médio e Norte da África), onde vegeta silvestre. Usado largamente como condimento, sendo por isso bastante conhecido e cultivado em vários países de clima subtropical e temperado.

Descrição [1]
Planta anual, herbácea, alta (0,7 m – 1,0 m), caule ereto, glabro, ramoso, de cheiro penetrante. Raiz longa e fusiforme.

Folhas em duas formas: as da roseta basal são longas (25 cm), duplamente compostas, com folíolos flabelados, de bordos recortados. Pecíolos longos, acanalados e de cor algo purpúrea, com bainhas largas e de igual cor. Da base ao ápice as folhas diminuem em tamanho de 11 cm para até 6 cm de comprimento, são alternas, com folíolos estreitos e longos e os pecíolos mais curtos tornando as folhas quase sésseis. Todas são verde-claras nas duas faces, com aroma forte e fétido quando esmagadas lembrando o cheiro exalado por percevejos.

Flores pequenas, branca ou róseo-violaceas, actinomorfas, diclamídeas. Cálice com 5 dentes agudos e desiguais em número de 5. Corola com 5 pétalas emarginadas. Estames em número de 5, alternando-se com as pétalas. Ovário ínfero, bilocular, com 2 óvulos por lóculo. Estilopódio cônico com 2 estiletes curtos. Inflorescência em umbelas compostas e terminais. Florescimento em novembro/dezembro.

Frutos constituídos de aquênios óvoides ou globosos. Cada aquênio é formado por 2 mericarpos hemisféricos ligados por um carpóforo.

Sementes representadas pelos diaquênios acima descritos ou cada um dos aquênios (mericarpos) que comumente se separam quando o fruto está bem seco ou repetidamente manuseado.

Cultivares mais conhecidos ofertados no mercado são o coentro-português e o coentro-nacional.

Uso popular e medicinal [5]

Cruas ou cozidas, as folhas são usadas como condimento em saladas e sopas. A folha fresca é considerada a erva mais aromática no mundo. A semente cozida serve como aromatizante de bolos, pães, curries e certas bebidas alcoólicas. A semente fresca tem cheiro desagradável e nauseante, porém quando seca torna-se perfumada e a fragrância aumenta com o tempo de armazenamento. A raiz em pó também é usada como condimento.

Coentro é um remédio doméstico reconhecido para uso interno devido ao seu efeito sobre o sistema digestivo, tratamento de flatulência, diarreia e cólica. A erva contém espasmos no intestino e combate os efeitos da tensão nervosa.

A semente é aromática, carminativa, expectorante, narcótica, estimulante e estomáquica. É indicada junto com purgantes para disfarçar o sabor e combater a tendência de causar cólica. Mastiga-se a semente para estimular o fluxo de suco gástrico, atenuar mau hálito e adoçar (ou refrescar) a respiração após a ingestão de alho. Externamente as sementes têm sido utilizadas como uma loção, ou moídas e usadas como emplastro para o tratamento de dores reumáticas. 

C. sativum foi aprovada pela German Commission E Monographs (Guia Terapêutico de Ervas da Alemanha) para dispepsia e perda de apetite.

Óleo essencial [4]
O óleo essencial é usado na aromaterapia com a palavra-chave "estimulante do apetite".

Nos frutos maduros, o teor de óleo essencial é baixo (menos de 1%), composto principalmente de linalol (50 a 60%) e cerca de 20% de terpenos (pineno, γ-terpineno, mirceno, canfeno, felandreno, α-terpineno, limoneno, cimeno). Em frutos torrados de coentro, as pirazinas são formadas como o principal composto de aroma. O sabor da erva fresca é devido a um óleo essencial (0,1%) quase inteiramente composto de aldeídos alifáticos.

 Atenção [5]
Recomenda-se cautela com as sementes, tornam-se narcóticas se usadas livremente. 

Valor nutricional por 100 g da porção comestível [2]

Coentro: folhas desidratadas
Principais Minerais Vitaminas
Umidade % 10,6 Cálcio mg 784 Retinol µg NA
Energia 309 kcal; 1293 kJ Magnésio mg 393 RE µg  
Proteína g 20,9 Manganês mg 10,48 RAE µg  
Lipídeos g 10,4 Fósforo mg 388 Tiamina mg 0,10
Colesterol mg NA Ferro mg 81,4 Riboflavina mg 0,11
Carboidrato g 48 Sódio mg 18 Piridoxina mg 0,09
Fibra alimentar g 37,3 Potássio mg 3223 Niacina mg Tr
Cinzas g 10,2 Cobre mg 4,09 Vitamina C mg 40,8
    Zinco mg 4,7    

NA: Não Aplicável Tr: Traços

 Referências

  1. CASTRO, L. O.; CHEMALE, V. M. Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares – Descrição e Cultivo. Livraria e Editora Agropecuária, Guaíba (RS). 1995.
  2. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 4a ed. 2011.
  3. Henriette's Herbal Homepage: Coriandrum sativum - Acesso em 19 de julho de 2015
  4. Gernot Katzer's Spice Pages: Coriandrum sativum - Acesso em 19 de julho de 2015
  5. Plants for a Future: Coriandrum sativum - Acesso em 19 de julho de 2015
  6. ​Imagem: © Forest & Kim Starr - Acesso em 19 de julho de 2015
  7. The Plant List: Coriandrum sativum - Acesso em 19 de julho de 2015

GOOGLE IMAGES de Coriandrum sativum - Acesso em 19 de julho de 2015

Galeria: