Coco-da-bahia

Nome científico: 
Cocos nucifera L.
Sinonímia científica: 
Calappa nucifera (L.) Kuntze
Família: 
Arecaceae
Partes usadas: 
Água de coco para fins terapêuticos e nutricionais.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Fitohormônios (auxina, etileno, giberilina, citocinina, ácido abscísico), açúcares, álcoois, lípidos, aminoácidos, compostos nitrogenados, ácidos orgânicos, enzimas.
Propriedade terapêutica: 
Antihelmíntico, antisséptico, aperiente, afrodisíaco, adstringente, bactericida, depurativo, diurético, hemostático, purgativo, refrigerante, estomáquico e vermífugo.
Indicação terapêutica: 
Abscesso, alopecia, amenorréia, asma, bronquite, contusões, queimaduras, cálculo, resfriados, constipação, tosse, fraqueza, hidropisia, disenteria, dismenorreia, dor de ouvido, erisipela, febre, gripe, gengivite, icterícia, menorragia, náuseas, tísica.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: coconut palm
  • Francês: coco, cocotier
  • Alemão: kokos, kokospalme
  • Italiano: cocco
  • Espanhol: cocotero, palmera de coco

Origem
Acredita-se que a origem seja o sudeste da Ásia, nas ilhas entre os oceanos Índico e Pacífico. Atualmente é encontrado em quase todas as regiões litorâneas tropicais do mundo. No Brasil os maiores estados produtores são Bahia, Pará, Ceará, Pernambuco e Espírito Santo

Descrição [2]
Dependendo da variedade esta palmeira alcança até 30 m de altura. Estipe solitário, curvo ou ereto. Folhas grandes, pinadas, podendo atingir até 3 m de comprimento, pêndulas com folíolos de coloração verde-amarelada.

Flores numerosas, brancas, ambos os sexos estão reunidos na mesma inflorescência do tipo cacho.

Fruto tipo drupa, ovóide, quase globoso. A parte mais externa do fruto é o epicarpo (epiderme lisa) de cor verde quando jovem. Durante seu desenvolvimento, o epicarpo torna-se castanho e desprende-se da porção mediana do fruto, o mesocarpo, que é espesso e fibroso. Quando o fruto seca, o mesocarpo desprende-se quase totalmente, restando apenas algumas fibras sobre a parte mais interna do fruto (o endocarpo).

No interior do endocarpo acumula-se a famosa água de coco, de reconhecido valor nutricional e terapêutico. Esta água não deve ser confundida com leite de coco, um líquido obtido da parte sólida comestível (denominado albúmen ou endosperma), de cor branca, dura, oleosa e saborosa. A água de coco é servida diretamente como bebida refrescante, enquanto o leite de coco é um ingrediente tradicional na culinária. 

Os principais componentes de leite de coco são água (cerca de 50%), gordura e proteínas, enquanto a água de coco contém principalmente água (veja a tabela nutricional abaixo). O leite de coco é a fonte do óleo de coco e de compostos aromáticos.

Enquanto mundialmente o coco é conhecido como uma oleaginosa, sendo majoritariamente processado para a produção de óleo e outros produtos no estágio final da maturação, no Brasil o coco é também consumido verde. 

Uso popular e medicinal
É considerada a palmeira mais útil ao homem. Tem grande importância na vida e economia de várias populações regionais. Praticamente todas as partes do coqueiro são úteis. Em sânscrito é denominado kalpa vriksha ("a árvore que fornece todas as necessidades da vida"). Na língua malaia é guna Seribu Pokok ("a árvore de mil usos"). Nas Filipinas o coco é chamado de "árvore da vida".

A água-de-coco é eficiente como soro hidratante, podendo auxiliar no tratamento de doenças infantis e organismos debilitados [2].

De acordo com a literatura, coco é usado em uma variedade de remédios. Considerado antihelmíntico, antisséptico, aperiente, afrodisíaco, adstringente, bactericida, depurativo, diurético, hemostático, purgativo, refrigerante, estomáquico e vermífugo. É indicado em casos de abscesso, alopecia, amenorréia, asma, bronquite, contusões, queimaduras, cálculo, resfriados, constipação, tosse, fraqueza, hidropisia, disenteria, dismenorreia, dor de ouvido, erisipela, febre, gripe, gengivite, icterícia, menorragia, náuseas, tísica, gravidez, erupção cutânea, sarna, escorbuto, dor de garganta, estômago, inchaço, dor de dente, tuberculose, febre tifóide, doenças sexualmente transmissíveis (blenorragia, sífilis) e feridas [3].

Vários componentes são encontrados na água de coco: açúcares, álcoois de açúcares, lípidos (ou lipídeos, gorduras), aminoácidos, compostos nitrogenados (ou azotados), ácidos orgânicos e enzimas. Tais componentes desempenham diferentes funções na planta e no organismo humano devido às suas propriedades químicas.

Dentre os componentes identificados estão os fitohormônios auxina, etileno, giberilina, várias citocininas e ácido abscísico. As citocininas [7], por estimularem o processo de divisão celular (mitose), são consideradas as mais importantes, suas potenciais propriedades são encorajadoras e inovadoras na busca de cura para os diferentes tipos de câncer. Além disso, essa substância é amplamente utilizada na indústria de cultura de tecidos vegetais [5].

A água de coco contém uma variedade de sais minerais (íons inorgânicos) necessários para o funcionamento normal das células, ativação da enzima, formação óssea, função da hemoglobina, expressão gênica e metabolismo de aminoácidos, lípidos e hidratos de carbono. Eletrólitos do corpo humano como sódio, potássio, magnésio e cálcio, excretados pelo suor, podem ser rapidamente repostos com a água de coco. É considerada um fluido de hidratação intravenosa sob certas situações de emergência. Existe um relato de que a água de coco tem efeito cardioprotetor no enfarte do miocárdio experimental induzido em ratos, propriedade esta provavelmente atribuída ao rico conteúdo de íons minerais na água de coco, especialmente potássio [5].

Também presente na água de coco estão as vitaminas B1, B2, B3, B5, B6, B7 e B9. Esta última, B9, atualmente designada por folato, é o nutriente indicado para anemia durante a gravidez. Além das vitaminas do completo B, tem ainda vitamina C (ácido ascórbico), um importante antioxidante [5].

Valor nutricional por 100 g da porção comestível [1]

Água de coco
Principais Minerais Vitaminas
Umidade % 94,3 Cálcio mg 19 Retinol µg NA
Energia 22 kcal; 90 kJ Magnésio mg 5 RE µg  
Proteína g 0 Manganês mg 0,25 RAE µg  
Lipídeos g 0 Fósforo mg 4 Tiamina mg 0,01
Colesterol mg NA Ferro mg Tr Riboflavina mg Tr
Carboidrato g 5,3 Sódio mg 2 Piridoxina mg Tr
Fibra alimentar g 0,1 Potássio mg 162 Niacina mg Tr
Cinzas g 0,5 Cobre mg Tr Vitamina C mg 2,4
    Zinco mg Tr    

NA: Não Aplicável Tr: Traços

 Culinária [2]
O leite de coco e o coco puro estão presentes na culinária brasileira desde a chegada dos escravos africanos. 

Entre os pratos salgados destacam-se vatapá, caruru, moqueca, xinxim de galinha, arroz-de-hauçá, etc.. Entre os doces temos baba-de-moça, cocada (branca, queimada, cocada-puxa), quindim, creme-de-homem, beiju molhado, cuscuz de tapioca, bolos, balas, mingau, paçoca, xerém, munguzá, canjica e tantos outros.

Os botões da ponta das plantas adultas (conhecido como "cabaço de coco") são comestíveis. O interior da ponta crescente é chamado coração-da-palma ou "palmito" e servido em saladas.

Outros usos [2,6,4]
A palmeira tem valor ornamental. O bagaço é utilizado na fabricação de azeite, sabão, velas e margarinas. A fibra que envolve a parte carnosa, caracterizada pela dureza e durabilidade atribuídas ao alto teor de lignina, tem ampla utilização no fabrico de capachos, passadeiras, sacos, broxas, escovas, redes, esteiras, enchimento de estofados, vasos ornamentais (substituto do xaximameaçado de extinção ), etc.. Casca e fibra servem também em artesanato de joias, utensílios domésticos e objetos decorativos.

O fruto presta-se para a produção de carvão vegetal com boa produtividade e qualidade, bem como para a geração de subprodutos da carbonização. O carvão vegetal derivado do coco inteiro pode ser usado como insumo energético em fornalhas de cerâmicas, padarias, pizzarias, dentre outras aplicações.

A madeira das partes média e baixa do tronco serve para suporte de carga em edifícios (molduras, pisos e treliças) e mobiliário. O óleo contém álcool graxo e glicerina empregados em sabões, detergentes, xampus, cosméticos, produtos farmacêuticos e explosivos.

A seiva da inflorescência fechada (palma de coco) é usada para produzir, por fermentação natural, uma bebida alcoólica denominada toddy ("tuba", "kallu", "coconut sap"). Muito comum na Índia, toddy contém 6-7,5% de álcool. A destilação do toddy gera outro produto comercial no Sri Lanka e Filipinas conhecido como arrack

Copra, a carne seca da semente, é usada para preparar o óleo do coco. O resíduo do óleo é usado como ração para animais.

 Referências

  1. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 4a ed. 2011.
  2. SILVA, S.; TASSARA, H. Frutas Brasil. Empresa das Artes, São Paulo (SP), 2005.
  3. Purdue University (Center for New Crops & Plants Products): Cocos nucifera - Acesso em 19 de julho de 2015
  4. World Agroforestry Centre: Cocos nucifera - Acesso em 19 de julho de 2015
  5. Molecules: The Chemical Composition and Biological Properties of Coconut Water - Acesso em 19 de julho de 2015
  6. Revista Árvore: Pirólise de resíduos do coco-da-baía e análise do carvão vegetal - Acesso em 19 de julho de 2015
  7. Só Biologia: Citocininas - Acesso em 19 de julho de 2015
  8. Imagem: Wikimedia Commons (Author: Nolege) - Acesso em 19 de julho de 2015
  9. The Plant List: Cocos nucifera - Acesso em 19 de julho de 2015

GOOGLE IMAGES de Cocos nucifera - Acesso em 19 de julho de 2015

Galeria: