Cipó-tuira

Nome científico: 
Bonamia ferruginea (Choisy) Hallier f.
Sinonímia científica: 
Prevostea ferruginea Choisy
Família: 
Convolvulaceae
Partes usadas: 
Folha.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Alcaloides, mucilagem.
Indicação terapêutica: 
Icterícia, hepatite, malária, desintoxicação de pele.

Origem
Endêmica na Amazônia e centro-oeste do Brasil. Pode ser encontrada em estradas e em florestas secundárias em áreas terra firme da Amazônia.

Descrição [1,2]
Cipó-tuira é uma liana de filotaxia alterna, com folhas peninérvias, heteroblásticas, ovaladas a elíptico-ovaladas com ápice variando de agudo, obtuso a mucronado e base arredondada a cordada, peciolada, sem estípula.

Hermafroditas, suas flores são actinomorfas, campanuladas, frequentemente com invólucro de brácteas, sépalas e pétalas unidas e torcidas em botão. Atraem insetos (abelhas), mariposas, pássaros e morcegos. O fruto é uma cápsula loculicida, envolta por sépalas persistentes. Testes de polinização indicam que a planta é autocompatível, porém a maior taxa de formação de frutos ocorre por polinização cruzada

O principal meio de reprodução é por sementes. Animais, vento e água são os vetores de dispersão.

Uso popular e medicinal [2]
A espécie é amplamente utilizada na região de Manaus (AM) para tratamento de anemia, malária, hepatite, diabete e rins. Relata-se também para o fígado, sangue e enxaqueca.

Destaca-se por suas propriedades medicinais, sendo utilizada no tratamento de icterícia, hepatite, malária e na indústria de cosméticos como ativador celular e desintoxicante da pele.

Testes histoquímicos realizados nos tricomas revelaram presença de lipídios nos tricomas tectores e glandulares. Tais compostos são de grande interesse para a área farmacêutica, como a produção de óleo de rícino. Os testes realizados ao longo de toda lâmina foliar, pecíolo e caule de B. ferruginea evidenciou células do parênquima com alcaloides, mucilagem, drusas de oxalato de cálcio, epidermes suberificadas, células esclerenquimáticas e xilemáticas lignificadas, confirmando as descrições de vários trabalhos com espécies de Convolvulaceae.

 Referências

  1. Revista Brasileira de Plantas Medicinais (2008): Aspectos morfoanatômicos de Bonamia ferruginea - Acesso em 10 de julho de 2016
  2. Congresso Nacional de Botânica (Belém, Pará, 2003): Aspectos da biologia produtiva de Bonamia ferruginea - Acesso em 10 de julho de 2016 
  3. Imagem: Missouri Botanical Garden - Acesso em 10 de julho de 2016
  4. The Plant List: Bonamia ferruginea - Acesso em 10 de julho de 2016 

GOOGLE IMAGES de Bonamia ferruginea - Acesso em 10 de julho de 2016

Galeria: