Chegadinha, macassá

Nome científico: 
Aeollanthus suaveolens Mart. ex Spreng.
Sinonímia científica: 
Aeollanthus affinis De Wild.
Família: 
Lamiaceae
Partes usadas: 
Folha, flor.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
O óleo essencial das folhas e flores contém alto teor de monoterpenos e sesquiterpeno. As substâncias isoladas são: linalol, β-farneseno e massoialactona.
Propriedade terapêutica: 
Antimicrobiana.
Indicação terapêutica: 
Doenças de pele, olhos e ouvidos.

Origem [1,2]
África tropical (Nigéria, Sudão do Sul, Quênia, norte da África do Sul). Naturalizada na América do Sul (Brasil).

Uso popular e medicinal
Cultivada no Brasil como planta medicinal contra doenças de pele, olhos e ouvidos. Usada em rituais religiosos praticados por afrodescendentes (umbanda, candomblé no Brasil, vodu no Haiti, etc.). Na Nigéria a folhagem serve para aromatizar sopas. É empregada como planta medicinal e substituta de sabonete na África tropical. O óleo essencial da planta tem valor potencial na perfumaria [1,2].

Uma análise do óleo essencial das folhas e flores constatou a presença de alto teor de monoterpenos (66,1% / 59,7%) e sesquiterpeno (28,2% / 33,3%). As substâncias isoladas foram linalol, β-farneseno e (-) - massoialactona. A atividade antimicrobiana destes compostos foi avaliada pela técnica de bioautografia e mostrou notável potencial antimicrobiano de (-) - massoialactona. 

De acordo com os resultados encontrados, os autores concluem que o óleo essencial de A. suaveolens das folhas e flores são semelhantes em termos de composição química. A presença de uma mistura enantiomérica do linalol em óleo essencial de A. suaveolens é uma ocorrência natural - e não devida a formação de artefato durante a hidrodestilação. O componente (-) - massoialactona parece ser o principal responsável pelas propriedades biológicas do óleo [3].

Mais informações sobre a composição química de A. suaveolens estão em um trabalho apresentado no Congresso Brasileiro de Química [5].

Um projeto financiado pela FAPESP avaliou a viabilidade do cultivo de A. suaveolens como fonte de massoialactona para a indústria de aromas e fragrâncias. A massoialactona natural é precursora da delta-decalactona, ingrediente muito utilizado na confecção de aromas alimentícios, perfumaria e cosméticos. Atualmente a fonte natural de massoialactona é a Cryptocaria massoia, conhecida como "massoia", árvore de porte médio nativa da Indonésia, obtida de fontes extrativas. Por esse motivo o suprimento é considerado irregular, causando oscilação no preço do produto. O cultivo em escala industrial deste vegetal poderá resolver o problema no abastecimento [4].

 Culinária: Arroz doce com macassá [6]

As folhas perfumadas são apreciadas na culinária. Veja essa receita.

Ingredientes: 1 garrafa de leite de coco, 1 xícara de arroz tipo japonês, 3 e 1/2 xícaras de água, 7 folhas de macassá, 2 colheres de açúcar, 2 sementes de cumaru (opcional).

Modo de preparo: aqueça o leite e a água em uma chaleira. Deixe ferver, desligue o fogo e coloque as folhas de macassá e o cumaru. Tampe e deixe descansando por 15 minutos. Coe este preparado e coloque o líquido em uma panela. Adicione o arroz e o açúcar. Deixe ferver em fogo médio a baixo, mexendo de vez em quando. Quando o arroz estiver mais seco mexa constantemente. Se necessário, coloque mais água. Sirva quente ou frio.

 Colaboração

  • Ana Lúcia T. L. Mota, Bióloga, São Paulo (SP), março 2016.

 Referências

  1. Plant Resources of Tropical Africa (PROTA4U): Aeollanthus suaveolens - Acesso em 6 de março de 2016
  2. Mansfeld's World Database of Agricultural and Horticultural Crops (2001): Aeollanthus suaveolens - Acesso em 6 de março de 2016 
  3. Química Nova (2007): Chemical composition and antimicrobial activity of the essential oil from Aeolanthus suaveolens - Acesso em 6 de março de 2016
  4. Biblioteca Virtual da Fundação de Amparo a Pesquisa (FAPESP, 2009): Cultura de Aeollanthus suaveolens como fonte de precursor biossintéticoAcesso em 6 de março de 2016
  5. Associação Brasileira de Química (2007): Composição química de A.suaveolens por SPME - Acesso em 6 de março de 2016
  6. Sabor de Fazenda: O perfumado macassá - Acesso em 6 de março de 2016
  7. Imagem: Arquivo Científico Tropical Digital Repository - Acesso em 6 de março de 2016
  8. The Plant List: Aeollanthus suaveolens - Acesso em 6 de março de 2016

GOOGLE IMAGES de Aeollanthus suaveolens - Acesso em 6 de março de 2016

Galeria: