Chambá

Nome científico: 
Justicia pectoralis Jacq.
Sinonímia científica: 
Dianthera pectoralis (Jacq.) J.F.Gmel.
Família: 
Acanthaceae
Partes usadas: 
Folha, flor.
Princípio ativo: 
As folhas contêm 84% de água, delas foram isolados três componentes: betaína, cumarina e umbeliferona.
Propriedade terapêutica: 
Sedante do sistema nervoso, expectorante, broncodilatador, analgésica, anti-inflamatória, inseticida.
Indicação terapêutica: 
Asma, tosse, bronquite, chiado no peito, dores causadas por inflamação.

Formulário de Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira
Chambá tem uso científico comprovado como expectorante. Para mais informações, consulte a monografia.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: fresh cut
  • Espanhol: curibano, carpintero, curia, piri piri, tilo

Origem
México e América Central.

Descrição
Planta perene, ramos delgados, suberecta, ascendente, com até 60 cm de altura, caule com pêlos curtos e engrossamento na região dos nós. Folhas opostas, lanceoladas e aromáticas. Flores irregulares com corola roxa, dispostas em panículas terminais. Fruto em cápsula.

O vegetal é amplamente cultivado, difícil encontrá-lo crescendo espontaneamente.

Uso popular e medicinal
A planta chambá é tradicionalmente utilizada no Nordeste brasileiro no tratamento de doenças do trato respiratório como asma, tosse e bronquite, sendo as cumarinas o metabólito secundário majoritário da espécie e responsável pela ação terapêutica.

Em Cuba, é reconhecida como sedante do sistema nervoso e a infusão das folhas é indicada para sintomas do peito e afecções cardíacas.

A planta possui ação inseticida sobre o mosquito Aedes aegypti.

Curiosidade
Em algumas regiões, esta planta é conhecida como "anador" e "melhoral", por possuir as mesmas atividades 
anti-inflamatória e analgésica desses produtos.

 Preparo e dosagem [1]

Expectorante. Componentes: partes aéreas secas 5 g; água q.s.p. 150 mL. Uso interno.

Modo de uso

  • Três a sete anos: tomar 35 mL do infuso, logo após o preparo, duas a três vezes ao dia.
  • Acima de sete a 12 anos: tomar 75 mL do infuso, logo após o preparo, duas a três vezes ao dia.
  • Acima de 12 anos: tomar 150 mL do infuso, logo após o preparo, duas a três vezes ao dia.
  • Maiores de 70 anos: tomar 75 mL do infuso, logo após o preparo, duas a três vezes ao dia

Advertência: Não deve ser utilizado por pessoas com distúrbios de coagulação e em caso de tratamento com anticoagulantes e analgésicos.

 Colaboração

  • Luciene Neves Medeiros, Bióloga (Brasília, DF), 2014.

 Referências

  1. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. ANVISA, 1ª ed. 2011.
  2. Revista Brasileira de Plantas Medicinais: Crescimento e produção de cumarina em plantas de chambá (Justicia pectoralis Jacq.) tratadas com isoterápico - Acesso em 21 de junho de 2015
  3. Horto didático de Plantas Medicinais do HU (UFSC): Chambá - Acesso em 21 de junho de 2015
  4. Universidade Católica de Santos: Projeto Farmácia Verde - Acesso em 21 de junho de 2015
  5. Globo Rural: Ervas medicinais - Acesso em 21 de junho de 2015
  6. Imagem: Red Telemática de Salud en Cuba (Author: © Roger Graveson, St. Lucía, WI) - Acesso em 21 de junho de 2015
  7. The Plant List: Justicia pectoralis - Acesso em 21 de junho de 2015

GOOGLE IMAGES de Justicia pectoralis - Acesso em 21 de junho de 2015