Cedro-rosa

Nome científico: 
Cedrela odorata L.
Sinonímia científica: 
Cedrela brachystachya (C.DC.) C.DC.
Família: 
Meliaceae
Partes usadas: 
Raiz, casca do tronco e semente.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
A goma-resina contém arabina, tanino, óleo essencial e mucilagem.
Propriedade terapêutica: 
Vermífuga, anti-inflamatória, adstringente, antiespasmódica, febrífuga, cicatrizante.
Indicação terapêutica: 
Redução de febre e dor, inflamação bucal, feridas, úlceras.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: spanish cedar, central american cedar, cigar box cedar, mexican cedar, west indian cedar
  • Espanhol: cedrela
  • Francês: cèdre acajou, cèdre des barbares

Origem [3,4]
Nativa da América tropical, do México, América Central (incluindo o Caribe) até a Argentina. Encontra-se naturalizada em várias ilhas do Pacífico, África do Sul, África ocidental e oriental. No Brasil ocorre em todas as formações vegetais exceto o Cerrado. Frequente na Mata Atlântica e Floresta Amazônica.

Descrição [3,4]
Árvore do dossel ou emergente, folhas decíduas, atinge altura de 35 m e diâmetro de 150 cm. Quando jovem a casca é lisa e cinza, tornando-se profundamente fissurada com o tempo.

As folhas são compostas, folíolos paripinados (o número de folíolos no ápice é par). As flores nascem em grandes inflorescências ramificadas. Flores masculinas e femininas são suportadas na mesma inflorescência, sendo que as femininas abrem antes. São brancas ou amareladas, 5 mm de comprimento, perfumadas. O florescimento anual é regular a partir dos 10 anos de idade.

O fruto consiste de uma cápsula lenhosa de cerca de 2 a 4 cm de comprimento. A maturação leva de 6 a 10 meses.

Propaga-se facilmente por semente.

Uso popular e medicinal
A raiz e a casca do tronco são usadas para reduzir a febre e dor. Acredita-se que as sementes tenham propriedades vermífugas [1].

Em um estudo etnofarmacológico mundial com espécies vegetais de uso popular em afecções da cavidade oral, os autores apontam que a entrecasca, na forma de decocção, tem utilidade em casos de inflamação [5].

Tem ação adstringente, antiespasmódica, febrífuga e cicatrizante. Podem ser usadas a casca do tronco, óleo das sementes, chá das flores e o pó da madeira. A sua goma-resina é semelhante à goma arábica, constituída de arabina, tanino, óleo essencial e mucilagem. O chá por decocto da entrecasca, em bochechos, é indicado nas inflamações bucais. A infusão das flores tem ação antiespasmódica. O pó da madeira e o óleo das sementes podem ser aplicados sobre feridas e úlceras. [6]. 

Outros usos [1]
A madeira, de alta qualidade, tem grande demanda em todo o mundo devido a resistência a degradação e insetos. Está se tornando escassa devido ao pesado desmatamento de florestas, a colheita selvagem excessiva e comércio ilegal. Muitas vezes essas árvores são derrubadas também em parques nacionais.

O uso mais conhecido da madeira de cedro-rosa é na fabricação de caixas de charuto, mas também é muito empregada na construção leve, confecção de molduras, armários, móveis, painéis, caixas, construção de barcos (especialmente barcos de competição), canoas, instrumentos musicais, torneados, caixas de fósforos, utensílios domésticos, laminados e compensados. 

O cheiro repelente de insetos da madeira torna-a particularmente adequada para a fabricação de caixas de roupas e armários.

As flores são visitadas pelas abelhas como fonte de néctar para a produção de mel. Como combustível, espécies de cedro dão lenha de qualidade.

Em Papua Nova Guiné, a casca tem sido usada na confecção de barbante. C. odorata é cultivada como planta ornamental ao longo de estradas e em parques na Malásia peninsular, Papua Nova Guiné e Cingapura.

 Referências

  1. World Agroforestry Centre (2009): Cedrela odorata - Acesso em 31 de outubro de 2015
  2. Finca Leoa Costa Rica Reforestation: Spanish cedar - Acesso em 31 de outubro de 2015
  3. Reflorestamento no Sul da Bahia: Cedrela odorata - Acesso em 31 de outubro de 2015
  4. Bionet-Eafrinet Key and Fact Sheets: Cedrela odorata - Acesso em 31 de outubro de 2015
  5. Revista Brasileira de Plantas Medicinais (2014): Plantas e constituintes químicos empregados em OdontologiaAcesso em 31 de outubro de 2015
  6. SILVA, R. C. Plantas da Amazônia na saúde bucal. Editora do Autor, Rio Branco (AC), 2a. ed. 2011.
  7. Imagem: Folhas (Author: Forest Star & King Starr) - Acesso em 31 de outubro de 2015
  8. Imagem: Árvore (Documentation Center for Species Protection) - Acesso em 31 de outubro de 2015
  9. The Plant List: Cedrela odorata - Acesso em 31 de outubro de 2015

GOOGLE IMAGES de Cedrela odorata - Acesso em 31 de outubro de 2015

Galeria: