Cebola

Nome científico: 
Allium cepa L.
Sinonímia científica: 
Allium ascalonicum f. rotterianum Voss ex J.Becker
Família: 
Amaryllidaceae
Partes usadas: 
Bulbo tunicado
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Óleo essencial (componentes sulfurados), vitaminas, sais minerais, pigmentos, flavonoides, glucoquinina, quercetina (não na cebola branca).
Propriedade terapêutica: 
Anti-inflamatório, antibiótica, antiviral, sedativa, anti-helmíntico, antisséptico, antiespasmódico, carminativo, diurético, expectorante, febrífugo, hipoglicemiante, hipotensor, estomáquico e tônico.
Indicação terapêutica: 
Afecções das vias respiratórias (resfriados, gripes, coriza e tosse), eliminador de ureia e cloretos, diabetes, enxaqueca, asma, infecção urinária (suco).

Nome em outros idiomas

  • Inglês: onion (Grã-Bretanha); garden onion (EUA)
  • Francês: échalote
  • Espanhol: cebolla
  • Alemão: speisezwiebel
  • Italiano: cipolla

Origem [4]
Acredita-se que o centro de origem da cebola seja as áreas desérticas do atual Paquistão e Irã, regiões áridas da Ásia Central, de solos pobres e rasos e submetidos a constante estresse hídrico.

Descrição [5]
É uma planta vivaz, bulbosa, herbácea, bienal, pode chegar a 1,2 m de altura. O bulbo é grande, arredondado, coberto por uma membrana interna de cor branca ou cor parecida com a do vinho tinto.

As folhas são arredondadas, tem tonalidade azul-verde. As flores são dispostas em um bouquet globular na forma de umbela (guarda-chuva).

Os frutos da cebola são minúsculas cápsulas cheio de sementes pretas. Floresce no verão entre julho e agosto. A cebola tem inúmeras virtudes culinárias, sendo ingrediente essencial em uma variedade de pratos.

Uso popular e medicinal [2]

Embora seja raro o uso específico como erva medicinal, a cebola tem uma ampla gama de ações benéficas. Promove a saúde geral do corpo se ingerida crua, regulamente. 

O bulbo é anti-helmíntico, anti-inflamatório, antisséptico, antiespasmódico, carminativo, diurético, expectorante, febrífugo, hipoglicemiante, hipotensor, estomáquico e tônico. Quando incluido na dieta, compensa a tendência para a angina, arteriosclerose e ataque cardíaco. 

Também é útil na prevenção da infecção oral e cárie dentária. Cebolas cozidas podem ser usadas como um cataplasma para remover o pus de feridas. O suco doce da cebola é indicado como primeiro socorro contra picada de abelhas, vespas, mordidas, escoriações ou reclamações fúngicas da pele. O suco aquecido pode ser pingado na orelha para tratar a dor de ouvido. 

Ela também ajuda na formação de novo tecido (cicatriz) em feridas, acelerando o processo de cura. Tem sido utilizado como um cosmético para remover sardas. Bulbos de cultivares vermelhos são colhidos quando maduros no verão e usado para fazer um remédio homeopático, indicado no tratamento de pessoas cujos sintomas incluem corrimentos nasais e oculares.

A German Commission E Monographs, comissão alemã que dá suporte científico para a aprovação de substâncias usadas na medicina popular e fitoterápica, aprovou A. cepa para a perda de apetite, arteriosclerose, queixas dispépticas, febre, resfriado, tosse, bronquite, hipertensão, tendência à infecção, inflamação da boca e da faringe.

 Dosagem indicada [1]

Resfriado, gripe, coriza, tosse, eliminar ureia, diabetes, enxaqueca, asma, infecção urinária (suco). Uso Interno. Em um pilão coloque 1 cebola média e 2 colheres de açúcar cristal. Amasse bem. Deixe em repouso por 2 horas. Coe e adicione 1 colher de mel.

Composição de alimentos por 100 gramas de parte comestível [6]

Cebola crua
Principais Minerais Vitaminas
Umidade % 88,9 Cálcio mg 14 Retinol µg NA
Energia 39 kcal; 165 kJ Magnésio mg 12 RE µg  
Proteína g 1,7 Manganês mg 0,13 RAE µg  
Lipídeos g 0,1 Fósforo mg 38 Tiamina mg 0,04
Colesterol mg NA Ferro mg 0,2 Riboflavina mg Tr
Carboidrato g 8,9 Sódio mg 1 Piridoxina mg 0,14
Fibra alimentar g 2,2 Potássio mg 176 Niacina mg Tr
Cinzas g 0,4 Cobre mg 0,05 Vitamina C mg 4,7
    Zinco mg 0,2    

NA: Não Aplicável; Tr: Traços

Por que a cebola faz chorar?
As lágrimas geradas pela cebola são um mecanismo de defesa da planta. Quando o vegetal é cortado, ralado ou quebrado, aminoácidos sulfóxidos e uma enzima particular da cebola são liberados. A enzima transforma os sulfóxidos em vapor que, em contato com os olhos, causa irritação. 

Já existe uma cebola geneticamente modificada (GM) que não faz chorar, que acaba com as lágrimas “desligando” essa enzima [3].

​Outros usos
O suco da planta é usado como um repelente de traça e também pode ser esfregada sobre a pele, a fim de repelir os insetos. O sumo de planta pode ser utilizado como um preventivo da ferrugem em metais e polimento de cobre e vidro. Um corante amarelo-castanho é obtido da casca dos bulbos. Diz-se que promove o crescimento do cabelo se esfregar na pele o sumo de cebola.

Para aumentar a resistência das plantas às doenças e outros parasitas, faz-se um spray derramando-se água quente sobre 1 kg de cebola picada sem a casca. A água deve ser suficiente para cobrir a cebola.
 
 Colaboração
  • Lauro Xavier Filho, Professor e pesquisador do Instituto de Tecnologia e Pesquisa da Universidade Tiradentes (UNIT).

 Referências

  1. MELLO, E.C. C.; XAVIER Filho, L. Plantas Medicinais de Uso Popular no Estado de Sergipe. Aracaju, UNIT, 2000.
  2. Plants for a Future: Allium cepa - Acesso em 25 de outubro de 2015
  3. Revista Agropecuária - Acesso em 25 de outubro de 2015
  4. Embrapa Hortaliças - Acesso em 25 de outubro de 2015
  5. Enciclopedia de Plantas Medicinales
  6. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 4a ed. 2011.
  7. Imagem (bulbos): Forest & Kim Starr - Acesso em 25 de outubro de 2015
  8. The Plant List: Allium cepa - Acesso em 25 de outubro de 2015

GOOGLE IMAGES de Allium cepa - Acesso em 25 de outubro de 2015

Galeria: