Casca-de-anta

Nome científico: 
Drimys winteri J.R.Forst. & G.Forst.
Sinonímia científica: 
Drimys aromatica Descourt.
Família: 
Winteraceae
Partes usadas: 
Casca
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
A casca contém sesquiterpenos (drimane) e óleos essenciais em abundância; vitamina C.
Propriedade terapêutica: 
Antiescorbútica, aromática, febrífuga, parasiticida.
Indicação terapêutica: 
Indigestão, náuseas, distúrbios menstruais, perda de libido, dor menstrual, cólicas, escorbuto.

Nomes em outros idiomas

  • Inglês: pepper bark, Winter's bark, Winter's cinnamon
  • Mapuche: foiye
Origem
Nativa do Brasil, Chile e Peru.
 
Descrição
Árvore perene, pode alcançar até 20m de altura, com um tronco de até 1m de diâmetro. Produz em abundância flores brancas com centros amarelos em cachos e uma noz verde pequena e redonda com sementes pretas dentro. As folhas e cascas têm um sabor picante, por isso são também usadas ​​como condimento. 
 
Uso popular e medicinal
Para corrimento vaginal, infecções e doenças sexualmente transmissíveis. Para os problemas de pele como dermatite, eczema, acne, erupções cutâneas, fungos na pele, micose.
 
Fortalece o sistema hormonal feminino. Indicada para distúrbios menstruais, perda de libido, dor menstrual e cólicas.
 
Como um tônico geral, tonifica, equilibra e fortalece as funções corporais em geral.
 
A infusão da casca é utilizada no tratamento de indigestão, cólicas e escorbuto.
 
Seus metabólitos demonstraram importante atividade biológica contra microorganismos e insetos. A casca contém sesquiterpenos do tipo drimane e óleos essenciais em abundância.
 

Origem do nome
Drimys origina-se do grego e significa "picante", devido a suas cascas e folhas. Winteri é dedicado ao capitão W. Winteri, médico, integrante da expedição inglesa de Sir Francis Drake em 1578, que descobriu com nativos que viviam no Estreito de Magalhães que a casca dessa árvore (chamada canelo no Chile), tomada como chá, poderia prevenir problemas estomacais.

A vitamina C, essencial para a boa saúde e então desconhecida, estava presente na casca. Com seu uso, os marinheiros do navio de W. Winteri foram os únicos sobreviventes da esquadra de 5 navios que puderam retornar em segurança para a Inglaterra. Posteriormente foi disseminada como antiescorbútica.

Foiye é o nome mapuche da planta, também é considerada símbolo da paz por esses povos indígenas da região centro-sul do Chile e do sudoeste da Argentina.

Na obra "Cem anos de solidão" o prêmio Nobel de Literatura Gabriel García Márques refere-se a Francis Drake como pirata

 
 Cuidado
A seiva da planta pode causar inflamação grave se entrar em contato com os olhos.
 
 Referências
  1. Chilean Journal of Agricultural Research (2011): Crude extracts of Drimys winteri bark to inhibit growth of Gaeumannomyces graminis var. tritici - Acesso em 4 de outubro de 2015
  2. San Francisco Botanical Garden: Drimys winteri - Acesso em 4 de outubro de 2015
  3. Plants for a Future: Drimys winteri - Acesso em 4 de outubro de 2015
  4. Tropical Plant Database: Casca de anta - Acesso em 4 de outubro de 2015
  5. Imagem - Chileflora: Drimys winteri; Plants of the week: Drimys winteri - Acesso em 4 de outubro de 2015
  6. The Plant List: Drimys winteri - Acesso em 4 de outubro de 2015

GOOGLE IMAGES de Drimys winteri - Acesso em 4 de outubro de 2015

 

Galeria: