Caruru, amaranto

Nome científico: 
Amaranthus hypochondriacus L.
Sinonímia científica: 
Amaranthus anardana Buch.-Ham. ex Moq.
Família: 
Amaranthaceae
Partes usadas: 
Folhas, sementes.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Aminoácidos essenciais (lisina, metionina), esqualeno. tanino.
Propriedade terapêutica: 
Antioxidante, adstringente.
Indicação terapêutica: 
Diarreia, menstruação excessiva, inflamação da faringe, bocas ulceradas, irrigações vaginais, hemorragias nasais, ferimentos, doença celíaca.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: amaranth, pilewort, prince´s feather, prince-of-wales feather, lady bleeding, love lies bleeding, red cockscomb, spleen amaranth, velvet flower
  • Espanhol: amaranto, brusela
  • Francês: l'amarante hypocondriaque
  • Alemão: trauer-fuchsschwanz

Origem
A. hypochondriacus é originária da América do Norte, possivelmente como um híbrido de espécies selvagens e cultivadas. Essa espécie é mais estudada e cultivada no México, Índia e EUA. É encontrada na África tropical (Quênia), mas a sua distribuição exata é desconhecida por causa da confusão com espécies afins.

Uso popular e medicinal

O grão de amaranto desperta especial interesse em várias partes do mundo pelo alto valor nutritivo de proteína (16 - 18% em média) e aminoácidos essenciais equilibrados, rico em lisina (3,2 - 18%) e metionina. Além disso, a proteína é altamente digerível. Sua composição corresponde ao padrão ideal da Organização Mundial de Saúde para a nutrição humana.

O óleo tem propriedade antioxidante. O amido é composto principalmente de amilopectina. Os grânulos de amido fazem do grão de amaranto uma matéria-prima atraente para uso industrial. A quantidade significativa de esqualeno, um composto orgânico antioxidante (4 - 11% da parcela de óleo), significa que amaranto pode ter um nicho de mercado como lubrificante na indústria de computadores, de cosméticos, produtos nutracêuticos e alimentos funcionais (veja quadro).

Funcional: alimentos que promovem mais do que a simples nutrição. Contribuem com a manutenção geral da saúde e previnem certas doenças.

Nutracêutico: uma combinação de "nutriente" e "farmacêutico", são produtos comercializados em diversas formas. Definido pela Foundation for Innovation in Medicine dos EUA como "substância que pode ser um alimento ou parte de um alimento que proporciona benefícios medicinais, incluindo prevenção e tratamento de doenças".

O grão é um alimento balanceado com propriedade funcional. O alto valor nutritivo faz com que a farinha possa ser usada na fortificação de cardápios isentos de glúten, o que pode ajudar portadores da doença celíaca. 

No Himalaia é muito popular o pão feito das sementes. Na África as folhas de A. hypochondriacus são consumidas como vegetal verde (hortaliça) e as sementes utilizadas como um grão de cereal.

No México, a forma mais comum de consumir o amaranto é o denominado doce "alegria", um preparado derivado do antigo "tzoalli", com a diferença de que, em vez de sementes de farinha de amaranto, usam milho de pipoca. As sementes são amassadas, torradas ou moídas e misturadas com milho para fazer os pratos. As folhas verdes são utilizadas em preparados semelhantes ao consumo de espinafre.

Toda a planta contém tanino e é adstringente. Indicada para uso interno no tratamento de diarreia e menstruação excessiva. Como gargarejo pode aliviar a inflamação da faringe e acelerar a cura de bocas ulceradas. Externamente pode ser aplicado no tratamento de descargas vaginais, hemorragias nasais e ferimentos. A planta pode ser utilizada fresca ou colhidas as flores e deixadas secar para uso posterior.

 Dosagem indicada
Diarreia, disenteria, hemorragia nos intestinos. Infusão ou decocção para uso interno: 2 colheres de sopa de folhas e flores secas em 1 litro de água fervente. Tomar 3 xícaras de chá ao dia.

Lavagem de ferimentos, hemorragias, gargarejos e bochechos para aftas e ulcerações bucais, irrigações vaginais, compressas. Infusão ou decocção para uso externo: 6 colheres de sopa de folhas e flores secas em um litro de água.

Valor nutricional [1]

Nota: para saber o valor nutricional de Amaranthus sp., consulte o trabalho de pesquisadores da Unicamp [3].

 Colaboração

  • João Luiz da Cruz Dias, arquiteto aposentado pelo Centro Federal de Ensino Tecnológico (CEFET/PA). Setembro de 2006.
  • Érika Alves Tavares Marques (Universidade Federal Rural de Pernambuco, PE). Setembro de 2006.
  • Wallace Bezerra de Menezes, Engenheiro Eletricista (EPUSP), São Paulo (SP). Setembro de 2006.
  • Tarsila Sangiorgi Rosenfeld, Comunicóloga, São Paulo (SP). Setembro de 2006.

 Referências

  1. Plant Resources of Tropical Africa (PROTA4U): Amaranthus hypochondriacus L. - Acesso em 18 de outubro de 2015
  2. Plants for a Future: Amaranthus hypochondriacus - Acesso em 18 de outubro de 2015
  3. Deveria o Brasil investir em novos grãos para a sua alimentação? A proposta do amaranto - Acesso em 18 de outubro de 2015
  4. RBFARMA - Nutracêuticos: aspectos sobre segurança, controle de qualidade e legislação - Acesso em 18 de outubro de 2015
  5. Centro de Información al Consumidor de Amaranto - Acesso em 18 de outubro de 2015
  6. Alimentos funcionais e nutracêuticos - Acesso em 18 de outubro de 2015
  7. Henriette’s Herbal Homepage: Amaranthus hypochondriacus - Acesso em 18 de outubro de 2015
  8. ZURLO, C.; BRANDÃO, M. As Ervas Comestíveis. Editora Globo S/A. São Paulo (SP).
  9. GRAU, J., JUNG, J. & MÜNKER, B. Plantas medicinales, bayas e verduras silvestres. Editora Blume, Barcelona, 1989.
  10. MOREIRA, F. As plantas que curam através da natureza. Editora Hemus, São Paulo (SP). 1978.
  11. Guias Rurais. Horta e Saúde.  Editora Abril, São Paulo (SP).
  12. BALBACH, A. A flora nacional na medicina doméstica. Edições “A edificação do lar”, v. 2, 4a ed., São Paulo (SP).
  13. Imagem: Wikimedia Commons (Author: Karelj); Ontario Specialty Cropportunities - Acesso em 18 de outubro de 2015
  14. The Plant List: Amaranthus hypochondriacus - Acesso em 18 de outubro de 2015

GOOGLE IMAGES de Amaranthus hypochondriacus - Acesso em 18 de outubro de 2015

Galeria: