Camomila

Nome científico: 
Matricaria chamomilla L.
Sinonímia científica: 
Chamomilla recutita (L.) Rauschert
Família: 
Compositae
Partes usadas: 
Flor seca.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Bisabolol, umbeliroferona, herniarina, flavonoides, cumarinas, ácido salicílico, vitaminas do complexo B e C e ácido cafeico.
Propriedade terapêutica: 
Anti-inflamatória, antiespasmódica, analgésica, antisséptica, antimicrobiana, anti-helmíntica, cicatrizante, antipirética, antiflogística.
Indicação terapêutica: 
Ansiedade, insônia, síndromes febris, dispepsia, flatulência, náusea, vômito, inflamação bucal e do aparelho geniturinário. Dor de origem reumática. Clareadora dos cabelos. Menstruação dolorosa.

Formulário de Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira
Camomila tem uso científico comprovado como antiespasmódico, ansiolítico, sedativo leve e anti-inflamatório em afecções da cavidade oral.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: chamomile, camomile, german chamomile, hungarian chamomile, wild chamomile, scented mayweed
  • Espanhol: manzanil

Origem

Nativa da Europa e Ásia, é cultivada comercialmente em todo o mundo para o consumo na forma de chá e extratos farmacêuticos.

Descrição
Planta herbácea, anual, com cerca de 30 a 50 cm de altura. Caule ereto, ramificado, liso e de cor verde. Apresenta folhas verde-claras, alternas, lisas na ponta superior, procedentes de nós do caule e dos ramos. São bi a tripinatissectas, com segmentos lineares.

As flores são reunidas em inflorencências do tipo capítulo formando corimbos e podem ser dedois tipos: as centrais, hermafroditas, de cor amarela, e as femininas que são marginais, zigomorfas, de corola branca e que ficam pendentes quando a inflorescência amadurece. O receptáculo cônico é oco e com várias séries de brácteas.

Os frutos são secos, cilíndricos, indeiscentes, do tipo aquênio. As sementes estão contidas nos aquênios.

A planta desenvolve-se bem em solos profundos, não compactados, bem drenados, ensolarados, com bom teor de matéria orgânica e de umidade. Prefere climas temperados, frios e secos. Multiplica-se por sementes, que devem ser cultivadas de abril a junho.

O plantio deve ser feito em linhas espaçadas de 30 a 40 cm ou a lanço. Entre as plantas deve haver um espaço aproximado de 15 a 20 cm. As sementes devem ser distribuídas na superfície do solo, promovendo-se após uma leve compactação superficial, mas sem enterrio.

A colheita deve ser feita quando a maior parte das flores estiver aberta (plena floração), cuidando-se que estejam enxutas, ou seja, sem a unidade do orvalho ou de chuvas. Inicia-se a secagem imediatamente após a colheita, com a temperatura de 30 a 35º C, processo que não deve ser feito ao sol.

Uso popular e medicinal
Indicada nos quadros de ansiedade e insônia, nas síndromes febris, dispepsia, flatulência, náuseas, vômito, inflamações bucais e do aparelho geniturinário.

Uso externo: dores de origem reumática e como clareadora dos cabelos (utilizada pela indústria cosmética para preparo de shampoos). Tem atividade reguladora das funções gastrointestinais e ação sedativa. Constatou-se experimentalmente ações anti-inflamatória, antiespasmódica, analgésica, antisséptica, antimicrobiana, anti-helmíntica (nas parasitoses intestinais) e cicatrizante.

Reações adversas são tênues e incluem distúrbios dermatológicos. 

Um dos principais constituintes da camomila é o bisabolol, substância mais encontrada nas infusões (chás) e responsável pela ação anti-inflamatória, antisséptica, antipirética e antiflogística.

No chá também são encontradas umbeliroferona e herniarina, as principais responsáveis pela ação espasmolítica da camomila.

Outros componentes: flavonóides, cumarinas, ácido salicílico, vitaminas do complexo B e C e ácido cafeico.

 Dosagem indicada

Dores estomacais, intestinais, insônias, perturbações da menopausa, menstruação dolorosa e excessiva: em 1 xícara coloque 1 colher de chá de flores secas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá 3 vezes ao dia, podendo adicionar o suco da metade de um limão, por dose.​

Antiespasmódico, ansiolítico e sedativo leve. Componentes: inflorescências secas (3 g); água q.s.p (150 mL). Preparar por infusão considerando a proporção indicada na fórmula. Modo de uso (interno): acima de 12 anos tomar 150 mL do infuso, 5 a 10 minutos após o preparo, 3 a 4 vezes entre as refeições [3].

Anti-inflamatório em afecções da cavidade oral. Componentes: inflorescências secas (6 a 9 g); água q.s.p (100 mL). Preparar por infusão considerando a proporção indicada na fórmula. Modo de uso (externo): fazer bochechos e/ou gargarejos 5 a 10 minutos após o preparo, 3 vezes ao dia [3].

 Referências

  1. PANIZZA, S. Plantas que Curam - Cheiro de Mato. IBRASA, São Paulo, 4a ed., 1997.
  2. NOLLA, D.; SEVERO, B. M. A.; MIGOTT, A. M. B. Plantas Medicinais. Editora Universitária UPF, Passo Fundo. 2005.
  3. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), 1ª ed. 2011.
  4. The Plant List: Matricaria chamomila - Acesso em 5/1/2015
  5. Imagem: Prelude Medicinal Plants Database - Acesso em 5/1/2015

GOOGLE IMAGES de Matricaria chamomila - Acesso em 5/1/2015

Galeria: