Borragem

Nome científico: 
Borago officinalis L.
Sinonímia científica: 
Borago hortensis L.
Família: 
Borraginaceas
Partes usadas: 
Folhas, sumidades floridas.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Mucilagem, tanino, nitrato de potássio, sais (potássio, cálcio), alantoína, óleo essencial, saponina, óleo fixo, ácido salicílico, Vitamina C.
Propriedade terapêutica: 
Depurativa, anti-reumática, antitussígena, laxativa, anti-inflamatória, emoliente, expectorante, diurética, lenitiva, sudorífera.
Indicação terapêutica: 
Gota, afecções respiratórias (bronquites, tosses), escassez de urina, reumatismo, transtornos menstruais, furúnculo.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: borage, bee-bread
  • Alemão: borretsch, gurkenkraut, borgel, herzblume
  • Espanhol: borraja
  • Francês: bourrache officinalle
  • Italiano: borrana, borràgine

Origem
Mediterrâneo

Uso popular e medicinal
Seu uso medicinal data da Idade Média, quando se acreditava que exercia um efeito mágico sobre o corpo e a mente. Utilizado hoje apenas pela medicina popular. A medicina científica somente aconselha o externo devido a descoberta de alcalóides tóxicos nas suas folhas.

Na medicina tradicional é considerada emoliente, depurativa, sudorífica, diurética, laxante e anti-inflamatória. Suas flores são empregadas na forma de infusões como expectorante e contra certas afecções do fígado e coração. Indicada contra tosse, reumatismo. Sabe-se que a borragem estimula as suprarrenais, favorecendo a produção de adrenalina, o hormônio que prepara o corpo para situações de tensão.

As folhas carnosas e ásperas podem ser empregadas como tônico da suprarrenal no caso de stress ou sequelas de terapia com esteroides.

O óleo extraído das sementes pode ser uma alternativa ao óleo de prímula, para transtornos menstruais e reumáticos.

Para aumentar a sudorese, empregam-se as flores. E as folhas para uma ação diurética.

Uma atividade refrescante lhe é atribuída. Uma folha fresca abaixará a temperatura da boca, desta forma é útil em febres.

Cultivada em hortas, esta erva é muito apreciada pois suas folhas são empregadas por séculos em saladas. Pelo fato de possuir potássio, é indicado para pessoas que precisam de uma dieta sem sal. Pode ser usado externamente como compressa em pele irritada ou inflamada.

 Dosagem indicada
Depurativo 
Infusão: em 1 litro de água fervente colocar em infusão 20 g de cada uma das seguintes ervas: borragem, agrião, dente-de-leão, fumaria, chicória-silvestre, cerefólio. Coar, adoçar e beber o líquido na dose de 3 a 4 cálices ao dia, a começar pela manhã em jejum.

Vinho depurativo 
Colocar um punhado de sumidades floridas frescas de borragem em 1 litro de vinho de boa qualidade, deixar macerar por cerca de uma semana, coar e consumir em calicezinhos antes das refeições.

Gota, furúnculo 
Cataplasma: cozinhar um punhado de folhas secas de borragem em pouquíssima água. Quando esta tiver evaporado, estender as folhas sobre uma gaze, espremê-la para fazer sair todo o líquido e aplicar o cataplasma bem quente sobre a parte dolorida.

Reumatismo 
Decocção: em 1 litro de água, ferver por meia hora 10 g de folhas secas de borragem, filtrar, adoçar com mel e beber 3 a 4 xícaras ao dia.

Tosse 
Decocção: 40 g de folhas em 1 litro de água, ferver por um quarto de hora, coar, adoçar e beber em 2 ou 3 vezes durante o dia. 
Infusão: 15 g de folhas e flores de borragem em 1 litro de água. Deixar macerar por três quartos de hora. Filtrar, adoçar com mel e beber o líquido em xícaras, na dose de 1 xícara a cada 2 ou 3 horas. Esta infusão é emoliente, refrescante e é benéfica nas tosses secas e persistentes.

 Toxicologia
Novas descobertas sobre sua composição química, como alcaloides isopirrolizidínicos, supinina, licopsamina, intermedina, ambilina e thesuinina tornam, segundo alguns estudiosos, esta planta imprópria para consumo.

Segundo determinação do Ministério da Saúde, todas as plantas que contenham estes alcaloides só devem ser usados em aplicações locais, isto é, externamente. A sua ingestão pode levar ao aparecimento tardio de cirrose hepática ou câncer do fígado. A substância encontra-se em maior quantidade nas folhas frescas do que nas folhas secas.

Deve-se tomar cuidado ao fazer preparações com a borragem. Recomenda-se filtrar muito bem para que se eliminem os pelos, visto que engolidos podem causar irritações no estômago.

 Culinária
Muito utilizado em saladas, suas folhas são saborosas e conferem sabor fresco às saladas, ligeiramente salgado e parecido com o do pepino, além de melhorar seu aspecto. Tempera-se com endro e cebola.

Suas flores são graciosas, com elas pode-se fazer um confeito muito bonito. Mergulha-se a flor na clara de ovo e depois no açúcar de confeiteiro e deixa-se secar.

Desde a Antiguidade suas flores são adicionadas ao vinho e podem também entrar na composição de bebidas alcoólicas, dando-lhe um efeito estimulante.

Charles Dickens, autor inglês do século XIX, era apaixonado por este ponche e oferecia a seus amigos americanos a sua receita particular, quando estes o visitava.

Ponche Charles Dickens

  • 2 copos (500ml) água
  • 1/2 copo (120ml) açúcar
  • 2 colheres de sopa (30ml) de raspas de limão
  • 1/4 copo (60ml) flores de borragem
  • 2 copos (500ml) de sherry - vinho de Xerez
  • 1 copo (240ml) brandy - conhaque
  • 4 copos (1 litro) cidra de maçã

Despeje a água fervente sobre o açúcar, raspas de limão e borragem. Deixe agir por 10 minutos. Coe e adicione o conhaque, o Xerez e a cidra.

Flores de borragem cristalizadas

  • 1 copo (240ml) flores de borragem
  • 1/2 colher (chá) 2,5ml água fria
  • 1 clara de ovo
  • açúcar granulado

Lave as flores de borragem e remova o excesso de umidade com papel toalha. Misture a clara de ovo e água, bata bem. Mergulhe as flores na mistura e então no açúcar. Coloque em papel manteiga para secar. Acondicione não por muito tempo em vasilha muito bem fechada, longe de umidade.

Curiosidades
As flores fornecem um corante azul muito bonito. Uma bebida refrescante pode ser feita com borragem no verão. Ela frequentemente cresce em regiões próximas a apiários, pois tem uma quantidade de néctar que as abelhas apreciam muito. Excelente planta melífera.

As flores azuis podem ser desidratadas com sílica para depois serem coladas em grinaldas de flores naturais desidratadas. Seu nome vem da antiga língua dos celtas, Borrach que significa coragem. Há literatura que considera este nome proveniente do latim Borra.

Os relatos antigos dizem que esta planta tem a capacidade de espantar a melancolia e trazer coragem, além de fazer as pessoas felizes e trazer um coração confiante. Os romanos também apreciavam muito a borragem. Plinius, um naturalista romano (23 a 79 DC) disse: 

"Eu, borragem, trago sempre a felicidade".

Tabernaemontanus escreveu em seu livro de plantas medicinais na Idade Média:

"Hoje em dia, tomando-se cinco folhas de borragem, afasta-se toda a sujeira do sangue".

 Referências

  1. BALMÉ, F. Plantas Medicinais. Editora Hemus, São Paulo, 2004.
  2. CHIEJ, R. The Macdonald Encyclopedia of Medicinal Plants. Macdonald, London, 1984.
  3. Hausbuch der Kräuter. Christian Quatmann.
  4. BOCKSCH, M. Heilpflanzen. Spektrum der Natur. Buchergild Gutenberg.
  5. POLETTI, A. Plantas y Flores Medicinales I e II. Editora Parramon, v. I,II, 1980.
  6. Plantas que Curam. Editora Três.
  7. LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais no Brasil - Nativas e Exóticas. Instituto Plantarum, Nova Odessa, 2.ed. 2008.
  8. Geheiminisse und Heilkräfte der Pflanzen. Reader´ Digest.
  9. KEVILLE, K. The Illustrated Herb Encyclopedia. Barnes & Noble, 1997.
  10. QUER, P. F. Plantas Medicinales - el diocórides renovado. Editorial Labor, 1993.
  11. HEMPHILL, J.; HEMPHILL, R. Complete Book of Herbs. Chancellor Press, 1995.
  12. GARLAND, S. The Complete Book of Herbs & Spices. Readers Digest, 1993.
  13. VOLAK, J.; STODOLA, J. Plantas Medicinais. Editorial Inquérito, Lisboa, 1990.
  14. Pahlow, A. M. Das Grosse Buch der Heilpflanzen. Grafe und Unzer.
  15. The Plant List: Borago officinalis - Acesso em 7 de junho de 2015

GOOGLE IMAGES DE Borago officinalis​ - Acesso em 7 de junho de 2015

 

Galeria: