Amor-crescido

Nome científico: 
Portulaca pilosa L.
Sinonímia científica: 
Portulaca lanata Rich.
Família: 
Portulacaceae
Partes usadas: 
Planta inteira
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Mucilagem, sais minerais, principalmente fósforo e potássio, cálcio, ferro, vitaminas B e C.
Propriedade terapêutica: 
Diurética, cicatrizante, analgésica, hepatoprotetora.
Indicação terapêutica: 
Problemas estomacais, queda de cabelo, diarréia, erisipela, queimadura.

Origem
Nativa das Américas, estende-se desde o sul dos Estados Unidos e do Caribe até o sul do Brasil.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: pink purslane, kiss-me-quick, rose-flowered purslane, penawar, pigweed, shaggy portulaca, hairy portulaca
  • Espanhol: verdolaga (Bolívia)

Descrição
Planta herbácea, anual, ereta. Folhas suculentas, cilíndricas, lineares, alternas, formando um verticilo (arranjo radial de três ou mais folhas em torno da haste, na parte superior desta). 

Flores cor-de-rosa e tricomas (cabelos, pelos) longos, brancos e crespos provenientes das axilas das folhas. Floresce na parte da manhã e fecha a tarde. Prospera em ambiente quente e ensolarado.

Frutos deiscentes que se abrem completamente por uma divisão transversal, contendo pequenas sementes pretas.

Portulaca é o antigo nome latino para "purslane" ("beldroega" em português). Ela deriva do nome "port", que em Latim significa "transportar" e "lac", que significa "leite", "milk-carrier" em inglês, que pode ser entendido como "caixa para transporte de leite". Pilosa refere-se aos longos pelos da planta. Em Latim, "pilos" significa "peludo". 

Em alguns países é considerada uma planta invasora.

Uso popular e medicinal
No Brasil espécies de Portulaca pilosa têm sido usadas como um remédio tradicional para causar a diurese, antipirese e analgesia. Estudos têm mostrado que os seus extratos têm efeitos renais. Também tem sido observado em ratos que tais extratos causam um aumento na excreção de potássio, sem uma alteração concomitante da diurese de água ou a excreção de sódio. Os estudos mostram que esta espécie também inibe a tirosinase em cogumelos in vitro.

 As folhas são utilizadas na forma de xampu para lavar e dar brilho aos cabelos.

A planta é bastante popular em Belém, capital do Estado do Pará (Brasil), sobretudo no tradicional mercado central Ver-o-Peso que concentra inúmeros pontos de venda de plantas medicinais e aromáticas, ervas frescas e receitas de poções, xaropes e preparados contra vários tipos de afecção. O amor-crescido é das plantas mais procuradas neste mercado por ser difícil cultivá-la nos quintais. 

 Dosagem indicada

Utilizada em preparados e infusões contra a queda de cabelo. A infusão das folhas aplica-se em emplastros contra queimaduras e afecções da pele. Misturar um punhado de folhas de amor-crescido e outro de folhas de jambu (Spilanthes oleracea) em água fria e aquecer. Deixar levantar fervura e tomar em substituição a água, durante todo o dia. Esta decocção é excelente diurético e hepatoprotetor.

 Colaboração

  • Lelington Lobo Franco, Químico, Fitologista (Curitiba, PR), 2014.

 Referências

  1. REVILLA, J. Plantas da Amazônia: oportunidades econômicas e sustentáveis. Manaus: SEBRAE: INPA, 2000.
  2. Alabama Plants: Portulaca pilosa - Acesso em 12 abril 2015
  3. Bio 406D - Native Plants: Portulaca pilosa - Acesso em 12 abril 2015
  4. Wikipedia: Portulaca pilosa - Acesso em 12 abril 2015
  5. Saber Tropical Knowledge: - Portulaca pilosa - Acesso em 12 abril 2015
  6. Imagem: Wikimedia Commons 1Wikimedia Commons 2 (Author: Forest & Kim Starr); Noosa's Native Plants - Acesso em 12 abril 2015
  7. The Plant List: Portulaca pilosa - Acesso em 12 abril 2015

GOOGLE IMAGES de Portulaca pilosa - Acesso em 12 abril 2015
 

Galeria: