Alecrim

Nome científico: 
Rosmarinus officinalis L.
Família: 
Lamiaceae
Sinonímia científica: 
Rosmarinus officinalis subsp. laxiflorus (Noë ex Lange) Nyman
Partes usadas: 
Folhas e flores
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Óleo essencial (borneol, pineno, canfeno, cânfora, cienol, acetato de bornila), diperteno, rosmaricina, tanino, saponina, ácidos orgânicos, pigmentos, flavonoides.
Propriedade terapêutica: 
Estimulante digestivo, antiespasmódica, estomacal, vasodilatadora, antisséptica, antidispéptica, anti-inflamatória.
Indicação terapêutica: 
Dores reumáticas, depressão, cansaço físico, gases intestinais, debilidade cardíaca, inapetência, cicatrização de feridas, dor de cabeça de origem digestiva, problemas respiratórios.

Planta da Farmacopeia Brasileira
Alecrim tem uso científico comprovado como antidispéptico e anti-inflamatório.

 
Nome em outros idiomas
  • Inglês: rosemary, benenden blue rosemary
  • Francês: ecensier, incensier, romarin
Origem
Nativa da região do Mediterrâneo.
Descrição
Rosmarinus officinalis é uma erva perene, lenhosa, tem folhas perfumadas em forma de agulha e flores branca, rosa, roxa ou azul. Propaga-se por estacas de ponteiro dos ramos

Uso popular e medicinal

Usado como tônico do sistema nervoso central e indicado em casos de esgotamento cerebral, excesso de trabalho e depressão ligeira. 

O modo de uso comum é Infusão das folhas frescas ou secas na forma de compressas, decoto das folhas na forma de loção, na forma de pomada usando-se o suco concentrado.

 Dosagem indicada

  • Dor de cabeça de origem digestiva. Em 1 xícara de chá, coloque uma colher de sobremesa de folhas picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá antes ou após as principais refeições.

Problemas respiratórios 

  • Xarope: para 1/2 litro de xarope adicionar o suco de 4 xíc. de cafezinho de folhas frescas, tomar 1 colher de sopa a cada 3 horas.
  • Infusão: 1 xíc. de cafezinho de folhas secas em 1/2 litro de água, tomar xíc. de chá a cada 6 horas.
  • Tintura: 10 xíc. de cafezinho de folhas secas em 1/2 litro de álcool de cereais ou aguardente, tomar 1 colher de chá 3 vezes ao dia em um pouco de água; para a maioria das indicações, inclusive hemorróidas.
  • Pó - as folhas secas reduzidas a pó têm bom efeito cicatrizante.

Antidispéptico e anti-inflamatório [1]

Componentes: folhas secas (2 g); água q.s.p (150 mL). Preparar por infusão considerando a proporção indicada na fórmula. Não usar em pessoas com gastroenterites e histórico de convulsões. Não utilizar em gestantes. Doses acima das recomendadas podem causar nefrite e distúrbios gastrintestinais. Não usar em pessoas alérgicas ou com hipersensibilidade ao alecrim. Uso interno: acima de 12 anos, tomar 150 mL do infuso, 15 minutos após o preparo, 3 a 4 vezes entre as refeições.

Outros usos
Usam-se ramos em armários para afugentar insetos.

Seu uso à noite pode alterar o sono.

 Toxicologia
Em altas doses pode ser tóxico e abortivo. Em doses elevadas pode provocar irritações gastrointestinais.

 Colaboração

  • Sérgio Antonio Barraca (ESALQ/USP), julho de 1999.
  • Martha Batista, Pedagoga e Terapêuta Naturalista (Florianópolis, SC).

 Referências 

  1. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. ANVISA, 1ª ed., pg. 57, 2011.
  2. PANNIZA, S. Plantas que Curam - Cheiro de Mato. IBRASA, São Paulo, 4a ed., 1997.
  3. PINTO, J. E. B. P et all. Compêndio de Plantas Medicinais. Universidade Federal de Lavras (UFLA/FAEPE), 2007.
  4. Cultivo de Horta Medicinal - Acesso em 8/3/2015
  5. The Plant List - Acesso em 8/3/2015

GOOGLE IMAGES de Rosmarinus officinalis - Acesso em 8/3/2015

Galeria: clique na imagem para ampliar: