Aguaí-da-serra

Nome científico: 
Chrysophyllum gonocarpum (Mart. & Eichler ex Miq.) Engl.
Sinonímia científica: 
Chloroluma gonocarpa (Mart. & Eichler ex Miq.) Baill. ex Aubrév.
Família: 
Sapotaceae
Partes usadas: 
Folha, semente.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): 
Esqualeno, a-tocoferol, ácido eis-octadec-9-enóico. Na semente: thevetina-A e thevetina-B
Propriedade terapêutica: 
Inseticida.
Indicação terapêutica: 
Empregada na lavoura para controle do bicho-mineiro. A semente tem poder energético contra doenças alérgicas, renais, rinites e asma.

Origem
Brasil, Bolívia, Uruguai, Paraguai, norte da Argentina. Nativa no Estado do Rio Grande do Sul, onde ocorre em todas as formações florestais. 

Descrição [4,5,7]
A árvore pode atingir de 10 a 20 m de altura na floresta, tem copa em forma de taça muito ramificada com 4 a 8 m de diâmetro. O tronco tem casca castanha escura ou acinzentada.

As folhas apresentam nervuras evidentes, com pelos brancos, cor verde amarelado, mede de 8 a 16 cm de comprimento e 2 a 5 cm de largura. Tipo de folha inteira, margem do limbo inteira e filotaxia alterna.

O fruto é amarelo, a casca e a polpa são grudadas e firmes, tem sabor adocicado, muito apreciado por várias espécies de pássaros. 

A árvore fornece madeira utilizada comercialmente e na fabricação de brinquedos, caixas e revestimento de casas.

Uso popular e medicinal
C. gonocarpum têm sido empregada no controle do bicho-mineiro, considerado praga-chave da cultura cafeeira pois causa desfolha nas plantas, afetando a produtividade das mesmas.

Uma análise fitoquímica das folhas deste vegetal isolou 3 substâncias do extrato metanólico identificadas como esqualeno, a-tocoferol e ácido eis-octadec-9-enóico. Segundo os autores, esta última se mostrou ativa contra a praga. Quando aplicado em folhas de cafeeiros, o extrato metanólico das folhas secas e moídas reduziu a oviposição do bicho-mineiro, confirmando o potencial desta espécie para a produção de substâncias úteis no controle do inseto [6].

Sementes de aguaí-da-serra são valorizadas por adeptos da filosofia oriental, reiki ("a cura pelas mãos") e medicina tradicional chinesa [2,3]. Eles se apoiam nos hábitos e conhecimentos de povos indígenas, que usavam colares de sementes para se embrenhar na mata. Tais colares tinham efeito de proteger os índios de animais peçonhentos e dar-lhes força.

Afirmam que a semente emite uma vibração contínua que protege o homem contra doenças e lhe devolve o bem-estar físico e equilíbrio psíquico, pois contém substâncias que fortalecem o movimento de contração do coração no batimento cardíaco, tornando-o ritmado, resultando em uma contração mais lenta, porém mais forte. Alertam que a semente é tóxica e não deve ser ingerida, sob risco de provocar parada cardíaca. O uso recomendado é externo, na forma de um colar: em contato constante com a pele, as sementes emitem uma energia positiva contra doenças alérgicas, renais, rinites e asma.

Análises químicas comprovaram que as sementes contém substâncias cardiotônicas (conferem energia e força ao coração) denominadas thevetina-A e thevetina-B, análogas à digitoxina e digoxina encontradas em Digitalis purpurea (Plantaginaceae de nome "dedaleira" ou "campainha"). São bem conhecidos os medicamentos digitálicos (ou cardioglicosídeos), usados na medicina para tratar a insuficiência cardíaca congestiva (ICC) e problemas de ritmo cardíaco (arritmias atriais) [1]. A dose para obter o efeito terapêutico da digitoxina é cerca de 70% da dose tóxica, portanto a administração deve ser muito cuidadosa. 

A forma de usar as sementes é importante. Segundo a medicina tradicional chinesa, as sementes femininas emitem a energia yin enquanto que as masculinas emitem energia yang. Para obter o equilíbrio, as sementes não devem ser usadas aleatoriamente, mas juntas formando o par "macho-fêmea".

 Referências

  1. Texas Heart Institute (2015): Digitalis Medicines - Acesso em 24 de julho de 2016
  2. Reiki (2015): Sementes de aguaí para cura energética - Acesso em 24 de julho de 2016
  3. Sementes de Aguaí: A energia das plantas sobre a saúde - Acesso em 24 de julho de 2016
  4. Useful Tropical Plants: Chrysophyllum gonocarpum - Acesso em 24 de julho de 2016
  5. Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi, 2010): Caxeta - Acesso em 24 de julho de 2016
  6. Universidade Federal de Lavras (2010): Purificação e identificação de substâncias de C. gonocarpum ativas contra o bicho-mineiro do cafeeiro - Acesso em 24 de julho de 2016
  7. Imagem: Flora Digital (Autor: Eduardo Luís Hettwer Giehl) - Acesso em 24 de julho de 2016
  8. The Plant List: Chrysophyllum gonocarpum - Acesso em 24 de julho de 2016

GOOGLE IMAGES de Chrysophyllum gonocarpum - Acesso em 24 de julho de 2016

Galeria: