Açafrão-verdadeiro

Nome científico: 
Crocus sativus L.
Sinonímia científica: 
Crocus officinalis (L.) Honck.
Família: 
Iridaceae
Partes usadas: 
Estigma (a parte central da flor, o órgão sexual feminino).
Princípio ativo: 
O estigma da flor contém glicosídeos (crocina) e óleo essencial. No pólem encontram-se vestígios de flavonoides.
Propriedade terapêutica: 
Carminativo, aperiente, hipolipemiante.
Indicação terapêutica: 
Perda de apetite, fadiga, inchaço, amenorréia, gengivite, dor de dente, gases intestinais, dores gástricas, atonia digestiva, afecções das vias urinárias, calculose renal e da vesícula, problemas respiratórios, dor menstrual, doenças circulatórias.

Nome em outros idiomas

  • Inglês: saffron
  • Espanhol: azafrán
  • Italiano: zaffarano, zafferano
  • Francês: safran 
  • Alemão: safran

Origem
Espécie nativa da Grécia e Sudoeste da Ásia.

Descrição
O que conhecemos por açafrão-verdadeiro é a especiaria derivada do estigma da flor, muito comum e usado como condimento na culinária brasileira.

A espécie tem folhas verdes, longas, lineares que crescem formando penachos.

A floração ocorre no final do verão e princípios de outono. A coleta varia de acordo com o clima da região, mas geralmente é feita a partir de meados de setembro a novembro.

Após coletado, deve ser guardado em frascos de vidro hermeticamente fechados, sem umidade e ao abrigo da luz.

Uso popular e medicinal
O estigma da flor de açafrão contém muitas substâncias, entre as quais alguns glicosídeos como crocina, responsável pelo poder de coloração, e óleo essencial. No pólem encontram-se vestígios de flavonóides. À crocina se atribuem propriedades hipolipemiantes (diminui LDL).

A planta é usada desde os tempos antigos por suas qualidades, muitas das quais ainda são atualmente válidas. 

De todas as virtudes atribuídas ao vegetal, as mais reconhecidas são aperiente e bom tônico estomacal.

Recomendada em casos de perda de apetite, fadiga, inchaço, amenorréia (ausência de menstruação), gengivite e dores de dente. Para aproveitar essas propriedades basta consumir como condimento.

Seus estigmas secos são usados contra gases intestinais, dores gástricas, atonia digestiva (as raízes também têm esta ação), afecções das vias urinárias, calculose renal e da vesícula biliar, problemas do sistema respiratório.

Considerada bom regulador da circulação sanguínea, alivia a dor menstrual. Aparentemente é um afrodisíaco feminino. Atualmente Crocus sativus é prescrito em Homeopatia a mulheres em todas as doenças circulatórias.

 Dosagem indicada

  • Redução de gases no intestino, acelerar a menstruação (infusão). Utilizar 2 g de açafrão por litro de agua. Tomar 3 chícaras ao dia. Em pó, cuidado para não exceder a dose prescrita pelo médico. Desta forma pode-se empregar como carminativo (redução de gases no intestino) e para acelerar a menstruação.
  • Dor de dente (tintura). Esfregar diretamente nas gengivas para aliviar as dores de dente.
  • Melhorar a circulação do sangue, antihipertensão (infusão). Usar as raízes, oralmente, por infuso de uma colher de sobremesa para cada xícara de água. Tomar 1 a 3 vezes ao dia.
  • Acelerar a digestão (infusão). Usar os estigmas por infusão (15 estigmas por xícara de água). Tomar 3 xícaras por dia.

Outros usos
A planta tem sido usada como um agente corante em doces e bolos, oferecendo um tom dourado brilhante. Uma parte de açafrão é suficiente para colorir 100.000 partes de água. 

Cerca de 150 mil flores são usadas para se obter 1 kg de açafrão seco, equivale a área plantada de 2.000 m2Esse fator limita o cultivo do açafrão. Devido ao elevado preço no mercado, outros corantes de preço mais baixo acabam sendo preferidos.

Na região de La Mancha (Espanha) cultiva-se de forma ritual por que quantidades significativas da planta estão incluídas no dote de casamento.

 Cuidado
A planta é tóxica se consumida em altas doses. É conhecido por ser abortiva. Na Antiguidade, muitas mulheres provocavam aborto e também morriam devido a hemorragia severa. A dose que pode levar a óbito é estimada em 10 a 12 g.

 Referências

  1. Enciclopedia de Plantas Medicinales - Azafrán (Crocus sativus)
  2. Gernot Katzer's Spice Pages: Saffron (Crocus sativus L.) - Acesso em 12 abril 2015
  3. Safranor: Mais c'est quoi le safran? - Acesso em 12 abril 2015
  4. Imagem: Kashmir Kesar Kingdom - Acesso em 12 abril 2015
  5. The Plant List: Crocus sativus L. - Acesso em 12 abril 2015

GOOGLE IMAGES de Crocus sativus - Acesso em 12 abril 2015
 

Galeria: